Destaques Geral

Carmo festeja 144 anos com desfile de carros de boi

Por Nathália Araújo / Redação

4 de novembro de 2021

C. R. CLARO – Para celebrar os 144 anos de Carmo do Rio Claro neste dia 5 de novembro, o Departamento de Turismo, em parceria com a Secretaria de Educação, promove algumas atrações como desfile de carros de boi com saída do Parque de Exposições, desfile das escolas municipais com a participação da Bateria 7 Vidas, e na praça do Boi haverá distribuição de pirulitos e algodão-doce para as crianças. Todo o evento seguirá as orientações sanitárias contra a covid-19.

Com uma população em torno de 21.300 habitantes, o prefeito Filipe Carielo aponta que o grande motivo para comemoração nesta data, sem esquecer de todos os entes que se foram por conta da pandemia, respeitando a memória de cada um, é o fato da proximidade do fim da pandemia.

“Desde 30 de outubro Carmo do Rio Claro iniciou a vacinação da última faixa etária emitida pela Vigilância Sanitária, que é de 12 anos ou mais. Portanto, estamos próximo de concluir a vacinação dos carmelitanos neste aniversário. Podemos também comemorar, depois destes últimos meses bastante turbulentos, esta finalização da campanha de vacinação”, disse o prefeito.

Com relação às dificuldades enfrentadas pela administração, Carielo salientou que a gestão assumiu uma prefeitura com a infraestrutura arrebentada e com inúmeros problemas.

“Pegamos uma prefeitura praticamente com todas as escolas municipais precisando de reforma, todas as unidades de saúde também carecendo de reformas. A própria sede administrativa da prefeitura está em estado deplorável. A rodoviária, também, que fica na parte inferior do prédio da prefeitura, precisando de reforma. As praças e logradouros públicos todas em estado precário e somado a isso uma bagunça administrativa grande, na qual a gestão não tinha nenhum tipo de controle de horas extras, horas de servidores, de gastos públicos, manutenção de equipamentos e bens, enfim uma bagunça administrativa muito grande. Concomitantemente a esta situação administrativa caótica e estrutural, tivemos uma intensificação da pandemia neste ano. Foi muito mais severa que em 2020, então agora herdamos uma crise de desabastecimento. Pregamos no início da pandemia que o lockdown não era uma solução viável para a crise sanitária, que não era o comércio varejista o problema, nem da indústria, o problema era festas lotadas e clandestinas. Já fizemos várias licitações, mesmo tendo recurso em caixa e acontecem duas situações, ou nenhuma empresa aparece ou ofertam o valor muito acima do praticado no mercado, tornando inviável. Há uma escassez de produtos”, assegurou.

Com relação aos eventos, Carielo informou que serão menores justamente por causa da pandemia e com muita cautela.

“Não faremos shows artísticos nem o desfile com todos os alunos, o que é costumeiro, justamente por conta ainda da preocupação com a pandemia. Mas, vamos fazer um momento cívico e desfile de carros de bois e de artistas locais no desfile”, disse.

Questionado sobre qual seria o melhor presente que a administração pode entregar à população, Carielo disse ser a conclusão das obras inacabadas.

“Concluímos o Velório Municipal, a rampa do Museu de Arqueologia Indígena, a reforma da Fonte Luminosa, a pavimentação e recapeamento de várias ruas, concluímos as três salas da Escola Anchieta e as salas da Escola Santa Luzia. Também conseguimos 95% da obra da capela e mais duas obras, que são a Creche da Infância do bairro Nossa Senhora Aparecida, que está sendo concluída e aberta ao público em 2022. Tivemos também o sinal verde do governo de Minas para retomar a obra que tem cerca de 10 anos de construção que é a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Belo Vista 2 – iniciada em 2013 e até hoje não foi concluída. Temos perspectivas de terminar nos próximos meses, por meio da nossa atuação”, garantiu.

O prefeito destacou ainda três outras situações como presentes.

“Primeiro a municipalização da Escola Santo Antônio, que vamos receber os recursos do Fundeb e o Estado de Minas vai custear os profissionais de Educação daquela escola até sua aposentadoria e vamos receber R$1,7 milhão para reformar todas as escolas do município. Também temos a obra do loteamento para a Conferência Vicentina e ganhamos de presente uma rotatória avaliada em R$500 mil que deve resolver o problema de trânsito próximo ao hospital e na avenida Rondon Pacheco, de maior fluxo. E, por fim, destaco o programa de cirurgias eletivas”, salientou Carielo.

História

De acordo com o site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os primitivos habitantes das terras do atual Município de Carmo do Rio Claro, foram indígenas das tribos cataguases e tupis-guaranis, predominando os primeiros. Os desbravadores foram os bandeirantes José Barbosa de Arruda e Domingos Ferreira de Avelar, provavelmente, remanescentes da bandeira de Lourenço Castanho fundadores do núcleo populacional, origem da atual cidade.

A expansão da comunidade está relacionada à fertilidade do solo, propício, tanto ao incremento das lavouras quanto à criação do gado. Relatos antigos dizem que José Joaquim Santana, aqui aportando nos primórdios do arraial da fazenda Trombucas, auxiliado pro moradores do nascente povoado, erigiu uma pequena capela de pau-a-­pique, coberta de palha, exatamente onde está hoje a Matriz da Cidade. Graças às férteis terras, o aglomerado evoluiu com sucessivas subdivisões das propriedades agrícolas, surgindo novas fazenda e tornando-se o binômio agricultura e pecuária, esteio da riqueza do município.

O topônimo é homenagem à Padroeira Nossa Senhora do Carmo e ao rio de águas cristalinas que banhava o arraial, o rio Sapucaí.