Destaques Saúde

Vereadores criticam medidas de restrição a comércio e estratégias contra pandemia

7 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Site EBC)

PASSOS – Por unanimidade, os vereadores da Câmara de Passos votaram os projetos e requerimentos que estavam na pauta para a sessão ordinária desta segunda-feira, 6. E, quase a totalidade dos que fizeram uso da tribuna, também foi unânime em relação aos decretos que flexibilizam algumas atividades e restringem outras, como é o caso do documento emitido na última sexta-feira em que bares, restaurantes, academias e igrejas tiveram horários alterados. Houve também crítica com relação aos buracos, moradores em situação de rua e engavetamento de projetos.

Para o presidente da Casa Legislativa, o vereador Rodrigo Moraes Soares Maia, embora tenha dito não ser um expert na área da saúde, pois não é infectologista, não é sanitarista, ele enfatizou a incoerência em deixar o comércio de forma geral aberto e fechar apenas os bares, lanchonetes.

Não vejo coerência. Tem algum estudo apontando para que o contágio se dá em bares? Ou lanchonetes e restaurantes. Se está aumentando o número de casos em relação ao coronavírus em Passos, que então feche tudo. Mas que porém, da forma como vem sendo elaborados os últimos decretos eles têm sido incoerentes”, salientou, acrescentando que o prefeito Carlos Renato Lima Reis tem agido de forma a penalizar certas atividades econômicas.

Não posso acreditar que o vírus somente se propague durante a noite. Lojas, mercados, comércio como um todo estão abertos, mediante decretos, e tenho visto vários lotados, com as pessoas não respeitando. Agora, durante o período da noite, os proprietários de bares, que respeitam as regras, que tomam cuidados estão sendo penalizados, precisam fechar mais cedo. Uma pessoa disse que o bar de fulano ficou até 1h. Não podemos sacrificar a totalidade por conta de um que faz errado. Fico extremamente chateado com a falta de coerência. Ou fecha tudo e de forma fundamentada, por colapso, ou dá chance igual para as várias atividades. Não sou sanitarista, mas do jeito que está não é possível”, afirmou.

A vereadora Maria Aparecida dos Reis Jerônimo, a Dona Cida, participando da sessão por meio digital de sua casa, cobrou a prefeitura posicionamento com relação ao que ela chamou de ‘Novela dos buracos’, principalmente no bairro Santa Luzia.

A operação tapa buracos passou por diversos bairros, diversas ruas aqui no Santa Luzia, mas algumas ficaram sem o serviço. Faço a cobrança de várias delas, e fico indignada em nome dos meus vizinhos, que são pessoas trabalhadoras, que pagam seus impostos e tendo a achar ser perseguição, pois na rua Rio Tietê, não vem a operação tapa buracos. A outra é a ‘Novela dos moradores em situação de rua’. Há mais de 10 anos tem gente morando na Praça do São Benedito, sem serem vistos. Foi só a ONG disponibilizar barracas que eles ganharam visibilidade. E, tiveram as barracas retiradas. Eles precisam de ajuda”, afirmou.

O vereador Erick Freire Silveira lembrou que esta administração municipal mostra, nos últimos tempos, sua falência.

Não teve um discurso que antecedeu ao meu em que o parlamentar não tenha feito alguma crítica a esta gestão. A situação é caótica, é difícil defender a administração. É um descaso. Hoje foi aprovado o requerimento por unanimidade para os planos de saúde para aposentados e inativos. É importante, mas foi pedido em 2017. Passados 3 anos. Pedimos também em 2017 o plano de carreira de alguns cargos para o magistério e nada. Pedimos o plano diretor, que está sendo feito aos trancos e barrancos”, afirmou Silveira.

Erivelton Lemos Sant’Ana, o Teo Lemos, disse ter sido favorável à abertura do comércio, mas, que gostaria que medidas fossem tomadas.

Porém, as tomadas foram em consonância com o MP. Estamos vendo situações de aglomerações, se continuar desta forma teremos o funcionamento de serviços essenciais bem em breve. O número de casos está crescendo. Estamos vendo desrespeito por parte de alguns comerciantes e moradores. Passei na Estação Cultura no domingo e tinha cerca de 150 pessoas e alguns sem máscaras. Fui favorável a abertura das academias. Ainda não aconteceu de fechar tudo ou abrir só os serviços essenciais porque o prefeito optou por não querer tomar a decisão do fechamento do comércio”, salientou.

João Benedito Serapião também lembrou o número crescente de casos.

Passos já está com 84 casos positivos. Todos nós devemos tomar cuidado. Hoje tive notícias de que só no Santa Luzia já tem 5 pessoas doentes. É preocupante”, afirmou.