Destaques Saúde

Unidades prisionais da região não registraram casos de covid-19

25 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Site EBC)

PASSOS – Nenhum caso de infecção pelo novo coronavírus foi confirmado nas unidades prisionais de Passos, Piumhi e São Sebastião do Paraíso. De acordo com informações da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp), para evitar o contágio pelo novo coronavírus, foi determinado que os protocolos de segurança em saúde são obrigatórios para detentos e profissionais que atuam nas instituições carcerárias.

Com o objetivo de evitar que novos presos transmitam a doença aos outros que já cumprem pena em regime fechado, o governo estadual desenvolveu um sistema que restringe a circulação de pessoas condenadas durante todo o período de pandemia.

O projeto foi classificado como um modelo de referência para o Ministério da Justiça e Segurança Pública, já que foram criados 30 centros de triagem, que funcionam como uma porta de entrada para os custodiados. Nos locais, os encaminhados ficam em observação clínica durante 15 dias e, se não apresentarem nenhum sintoma de síndrome gripal, são direcionados às unidades de sentença.

Além disso, foram suspensas as visitas, com o intuito de diminuir a circulação de pessoas nas dependências carcerárias, e a entrega de kits suplementares, como alimentos, itens de higiene pessoal e remédios. Esses produtos também podem estar contaminados pela covid-19 e, por este motivo, devem ser enviados por meio postal; em seguida, eles são desinfeccionados e inspecionados para serem entregues aos presos.

No entanto, para que os detentos possam ter contato com familiares, a Sejusp autorizou o recebimento de cartas, ligações telefônicas e chamadas por videoconferências nos locais que contam com os equipamentos tecnológicos necessários. Em todo o estado, cerca de 35 mil correspondências são recebidas semanalmente, enquanto no mesmo período ocorrem 15 mil ligações.

Além do contato familiar, as videoconferências também são utilizadas para a realização de audiências judiciais nas unidades que estão adaptando a tecnologia para melhorar o desenvolvimento dos serviços. Considerando que o método tem sido eficaz, evitando não só o contágio pelo vírus, mas também outros problemas vinculados ao transporte dos detentos, o Poder Judiciário pretende manter o sistema em vigor, de modo a contribuir com os envolvidos nos julgamentos.

Conforme foi estabelecido pelas autoridades de saúde, os ambientes e veículos carcerários terão higienização reforçada enquanto durar a pandemia. Para a disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), os servidores das unidades prisionais passaram a produzir máscaras de uso próprio. Caso algum preso apresente sintomas gripais, ele é isolado e examinado para que se chegue a um diagnóstico.