Destaques Saúde

SRS-Passos recebe lote com 9,4 mil doses da Coronavac

Por Beatriz Silva / Redação

20 de janeiro de 2021

Primeiras doses devem ser distribuídas para os 27 municípios integrados a SRS-Passos. / Foto: Divulgação

PASSOS — A Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS-Passos) recebeu ontem, 19, as primeiras doses da Coronavac. Conforme a regional, em um total de quatro caixas, 9.467 doses foram disponibilizadas, as quais devem ser distribuídas aos 27 municípios da região. Já em todo o Estado, 577.480 doses iniciais para vacinação contra a covid-19 foram distribuídas, e a expectativa é de que cerca de 280 mil pessoas sejam vacinadas até o final desta semana, recebendo as duas doses necessárias para a imunização até meados de fevereiro.


O que você também vai ler neste artigo:

  • A chegada da vacina
  • GUIA DA VACINA

Como salientado pela equipe de assessoria de imprensa da SRS-Passos, nesta fase, serão vacinadas apenas as pessoas classificadas no grupo prioritário. Conforme os planos nacional e estadual de vacinação contra a covid-19, tal público compreende os grupos de profissionais de saúde que atuam na linha de frente de enfrentamento à covid-19; as pessoas de 60 anos ou mais, que vivem em instituições como lar de idosos; os maiores de 18 anos institucionalizados que são portadores de deficiência e a população indígena, que vive em terras indígenas.

Devido à importância da identificação do cidadão no momento da imunização, o Ministério da Saúde (MS) orienta que seja utilizado, preferencialmente, o número do CPF e, na sua ausência, o Cartão Nacional de Saúde (CNS). Sobre a vacinação de indivíduos infectados (em período de incubação), ou assintomáticos, um informe técnico do MS esclarece que é recomendado o adiamento da vacinação.

Como a piora clínica de um paciente com covid pode ocorrer até duas semanas após a infecção, a vacinação deve ser adiada, idealmente, até a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas, ou quatro semanas a partir do primeiro teste positivo em pessoas assintomáticas”.

Em relação ao imunobiológico, a Secretária Municipal de Saúde de Passos informou que todas as estratégias de imunização e início da campanha vão acompanhar a disponibilidade de vacinas fornecidas pela SRS-Passos. A pasta também destacou que, para o território, entre os públicos prioritários definidos, a população idosa geral no município é de pouco mais de 20 mil habitantes, enquanto que, os profissionais de saúde giram em torno de 4 mil.

Mesmo sem previsão para o início da primeira etapa de imunização em Passos, o plano de vacinação municipal esclarece que a vacinação dos profissionais de saúde pode ser realizada nos locais de trabalho, com logística definida por cada instituição.

Já em uma próxima etapa, posterior à imunização dos idosos em instituições de longa permanência, os demais idosos poderão ser imunizados por meio de estratégias relacionadas ao sistema drive thru; bem como no próprio domicílio pela equipe do Programa Saúde da Família (PSF), no caso de acamados.

Outras táticas previstas consideram a extensão do horário de funcionamento das sete salas de imunização e vacinação aos sábados. No entanto, tais estratégias dependerão de quando a próxima fase de vacinação será autorizada pelos órgãos competentes.

Priscila Soares Corrêa Faria, enfermeira da Secretaria Municipal de Saúde de Passos e referência técnica de imunização, reforçou que o município possui equipes profissionais capacitados para administrar o imunobiológico e pediu paciência à população.

Estamos aguardando a demanda e os protocolos do Ministério da Saúde, seguiremos a imunização de acordo com os grupos prioritários. Teremos horários estendidos da vacina para evitar aglomerações, então, peço a toda a população que seja paciente e respeite os protocolos, usem máscaras, utilizem álcool gel e, principalmente, evitem aglomerações. No começo da vacinação, ainda estaremos pandemia, portanto, temos que nos resguardar utilizando todos métodos possíveis. É interessante destacar também que a população deve aguardar pacientemente, pois chegará vacina a todos, de acordo com fases de imunização”, disse.

A chegada da vacina

Foto: Divulgação

Previstas para chegarem às 14h, as doses da vacina produzida em parceria pelo Instituo Butantan de São Paulo e a empresa chinesa Sinovac chegaram ao aeroporto de Passos às 13h25. A antecipação foi justificada por uma questão de segurança e para evitar aglomerações.

As quatro caixas carregadas com os imunizantes foram descarregadas da aeronave Pégasus 17, da Polícia Militar de Minas Gerais, e levadas diretamente para a Superintendência Regional de Saúde de Passos, cada município fica responsável por buscar seu quantitativo de vacinas e, até o encerramento desta edição da Folha, o total de doses a serem distribuídas por localidade não foi divulgada pela regional.


GUIA DA VACINA

O que você precisa saber sobre a campanha de imunização contra a covid-19

A vacinação nacional contra a covid-19 começou na segunda-feira, 18, de acordo com o Ministério da Saúde. A distribuição das doses da Coronavac para cada Estado foi iniciada na manhã da segunda. Após o recebimento, caberá aos governos estaduais a definição sobre agendamento da vacinação dos grupos prioritários, formados por profissionais de saúde da linha de frente no combate ao coronavírus, idosos que vivem em asilos e indígenas. Cada Estado definirá cronograma e agendamento da vacinação, que começou na segunda-feira, 18, para profissionais da linha de frente no combate ao coronavírus; ainda não é hora de correr para os postos de saúde. Abaixo, perguntas e respostas sobre o assunto:


1 – Quando começa a vacinação no Brasil?

R – O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, autorizou o início do Plano Nacional de Imunização nessa segunda-feira, 18. Com a chegada das vacinas, 15 Estados começaram a vacinação ainda na segunda-feira. No domingo, 17, São Paulo começou a aplicação de doses em profissionais de saúde na capital paulista e a campanha seguiu na segunda. Minas Gerais iniciou a vacinação na segunda-feira e a distribuição das vacinas para o interior começou ontem. Na região as vacinas chegaram ontem, mas o esquema de vacinação ainda não foi divulgado.


2 – Quais serão os grupos prioritários?

R – Conforme o Ministério da Saúde, os primeiros a receber as vacinas são os profissionais de saúde da linha de frente do combate à covid-19, idosos que vivem em asilos e indígenas. Essas pessoas vão receber a imunização nos locais onde vivem/trabalham, sob a coordenação de cada município. O número limitado de doses disponíveis no momento obrigou o ministério a priorizar indivíduos com mais risco. Cerca de 156,8 mil idosos vivem em instituições de longa permanência.


3 – Quais serão os locais de vacinação?

R – Cada Município definirá os postos de vacinação. As autoridades da região ainda não divulgaram como será o processo, o que deverá ocorrer ao longo desta semana. Mas ainda não é hora de se dirigir a postos de vacinação em busca de vacinação ou até mesmo de informações complementares.


4 – Quais vacinas serão aplicadas no Brasil?

R – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou no domingo o uso emergencial de 6 milhões de doses da Coronavac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantã, e de 2 milhões de doses da vacina da Universidade de Oxford, desenvolvida pela AstraZeneca, em parceria com a Fiocruz. Não há, porém, doses do imunizante britânico no Brasil ainda – o governo federal tenta importar dois milhões de doses do produto da Índia, mas o governo do país asiático ainda não liberou o produto.


5 – A vacina será gratuita?

R – Sim. Inicialmente, a vacina será aplicada apenas pelo Sistema Único de Saúde, de forma gratuita a toda população.


6 – Há previsão de que se possa comprar a vacina em clínicas particulares?

R – Ainda não há previsão de compra das vacinas aprovadas pelas clínicas particulares.


7 – Quantas doses da Coronavac estão disponíveis e quantas pessoas podem ser vacinadas com elas?

R – O lote inicial é de 6 milhões de doses da Coronavac, que começaram a ser distribuídas nesta segunda-feira. Esse lote será suficiente para a vacinação de só 0,5% dos idosos brasileiros e 34% dos profissionais de saúde do País.


8 – Mais doses da Coronavac podem ser produzidas em breve?

R – O Instituto Butantã tem 4,8 milhões de doses em fase final de produção, mas aguarda nova autorização da Anvisa para uso emergencial. O pedido foi feito nesta segunda-feira, 18. O órgão não recebeu novas remessas do Insumo Farmacêutico Ativo, o princípio ativo da vacina, importado da China.


9 – Qual a capacidade de produção da Coronavac?

R – O Instituto Butantã tem capacidade para fabricar um milhão de doses por dia, de acordo com presidente do órgão, Dimas Covas. Mas, para isso, depende de insumos feitos pelo laboratório chinês Sinovac que precisam ser importados. A instituição estima que ainda demore dez meses para ter capacidade de produzir a vacina sem depender de insumos importados.


10- A taxa geral de eficácia da Coronavac se revelou de 50,38%. O que isso significa?

R – Essa taxa de eficácia da Coronavac significa que, de cada cem pessoas vacinadas que tiverem contato com o vírus, 50,38% não vão manifestar a doença graças à imunidade conferida pela vacina. E para quem acabou ficando doente, a vacina reduziu em 78% a chance de ter uma doença leve que precise de assistência médica.

Continua na próxima edição.


Você também pode gostar de: