Destaques Saúde

SRS- Passos distribui 2.370 doses para imunização pediátrica na região

18 de janeiro de 2022

A técnica de enfermagem Angelita Lopes Balduíno Alves, de São José da Barra, junto à técnica da Rede de Frio da SRS Passos, Eliane Vieira Franco./ Foto: Divulgação.

PASSOS – A Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS Passos) iniciou nesta segunda-feira, 17, a distribuição da primeira remessa de vacina pediátrica contra a covid-19. Segundo o órgão, foram recebidas 2.370 doses da Pfizer no sábado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e os imunizantes deverão ser administrados, com prioridade, nas crianças de 5 a 11 anos de idade que possuam comorbidades ou deficiência permanente.

O primeiro município a retirar suas doses na Rede de Frio da SRS Passos foi São José da Barra, tendo como portadora a técnica de enfermagem Angelita Lopes Balduíno Alves. Na sequência, profissionais de enfermagem de outros municípios também compareceram para retirar o medicamento.

As 2.370 doses destinadas pela SES-MG para os 27 municípios da Regional de Saúde de Passos correspondem a 6% da população de 5 a 11 anos na região, cuja estimativa é de 39.387 crianças nessa faixa etária. Ainda não há previsão sobre a segunda remessa da vacina.

As informações técnicas e orientações sobre a aplicação do imunizante nas crianças foram repassadas pelas referências técnicas do Núcleo de Vigilância Epidemiológica (Nupevi) da SRS Passos, Sueli Veloso Maia e Suely de Fátima Cortez, aos responsáveis pela vacinação nos municípios, em videoconferência na manhã desta segunda-feira.

Dentre as especificações da vacina pediátrica da Pfizer contra a covid-19, destaca-se a cor laranja da tampa do frasco e dos detalhes da embalagem, enquanto que na vacina do mesmo fabricante para adultos predomina o roxo. Sueli Veloso e Suely Cortez detalharam informações, orientações e recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Saúde, SES-MG e CIB-SUS/MG a respeito do produto e de sua administração no público-alvo.

Os vacinadores terão que ficar atentos quanto à temperatura, homogeneização e outros cuidados com a vacina, que deverá ser administrada em ambiente acolhedor e seguro para as crianças. Os profissionais que realizarem a aplicação das vacinas deverão mostrar aos responsáveis pelas crianças a retirada de 0,2 ml de dose no frasco com uma seringa de 1 ml e a vacinação deve ser imediata.

Devem ser vacinadas, em primeiro lugar, as crianças que possuam comorbidade ou são portadoras de deficiência permanente. Depois desse público prioritário, devem ser vacinadas as demais faixas etárias, em ordem decrescente: 11 e 10 anos, 9 e 8, 7 e 6, e, por último as crianças de 5 anos.

Conforme recomendações da Anvisa, após vacinada, a criança deve permanecer no local por 20 minutos, para facilitar a observação de possíveis reações adversas durante um breve período.