Destaques Saúde

SRS e Santa Casa acertam alterações

8 de outubro de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS — A Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS Passos) e a Santa Casa de Misericórdia de Passos acertaram novos rumos para o plano de Contingência de Enfrentamento à Covid-19. O acerto se deu após o Ministério da Saúde (MS) não renovar a habilitação de leitos clínicos e de UTI adultos disponibilizados pelo hospital para pacientes com covid-19. Esse realinhamento foi informado durante a videoconferência semanal do Comitê Macrorregional Sul Covid-19, em que foram apresentadas outras alterações no plano de Contingência Macrorregional Covid-19, e avaliado pela Comissão Intergestora Bipartite (CIB) das microrregiões de Cássia, Passos e Piumhi.

Sabendo que os hospitais têm papel fundamental na resposta de um sistema de serviços de saúde em uma pandemia, o descredenciamento do prestador de serviço médico-hospitalar – Santa Casa de Misericórdia de Passos – pelo Ministério da Saúde, provocou a necessidade de negociação com os diversos atores envolvidos para definição do quantitativo de leitos de UTI adulto covid-19 e leitos clínicos covid-19, visando assegurar à população o acesso a esses serviços em tempo oportuno”, justifica a superintendente da SRS Passos, Kátia Rita Gonçalves.

Esse acerto entre a Santa Casa e gestores municipais de saúde, com intermédio da SRS Passos e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS-MG), foi promovido em 30 de setembro, mas ainda precisava ser avaliado pela Comissão Intergestora Bipartite (CIB) microrregional, o que ocorreu na terça-feira (6/10). As alterações também precisam ser apresentadas em âmbito macrorregional, segundo Kátia Gonçalves.

Está previsto mais um encontro no âmbito da CIB, para avaliação final da proposta apresentada e a reconfiguração do plano de contingência operativo para o enfrentamento da covid-19 na macro Sul”, observou.

Em recente reunião semanal do Comitê Macrorregional Sul Covid-19, essas alterações do plano de contingência foram apresentadas e discutidas pelos membros, que são representantes das quatro regionais de saúde do Sul de Minas Gerais, secretarias municipais de saúde, Ministério Público Estadual e outras instituições. Quanto ao número de leitos ofertados pela Santa Casa de Misericórdia de Passos, houve redução de 52 para 30 leitos UTI adulto covid-19, sendo 20 que já existiam e dez novos. Dos leitos clínicos covid-19, a redução foi de 74 para 20 leitos para cobertura da microrregião de Passos, formada por dez municípios.

A negativa do MS de renovar a habilitação de leitos da Santa Casa para pacientes com covid-19 teve como justificativa a taxa de ocupação, que se manteve baixa desde o início da pandemia do novo coronavírus. A Santa Casa também justificou sua própria redução de oferta de leitos, usando a baixa taxa de ocupação de leitos, alto custo para manutenção da estrutura física e profissionais de saúde e também a grande demanda de leitos por outras doenças.
Diante do cenário, Kátia Gonçalves alertou nas reuniões extraordinária e ordinária da CIB Microrregional e no Comitê Macrorregional Sul Covid-19 para a perda de grandes percentuais de números de leitos.

Os municípios precisam monitorar continuamente e implementar medidas de controle e mitigação dos riscos de transmissão da covid-19 e a consequente demanda por leitos de internação”, disse, citando a redução de 42% dos leitos de UTI adulto e de 75% dos leitos clínicos na microrregião de Passos.

Também houve alteração na quantidade de leitos de suporte ventilatório pulmonar, na Santa Casa de Misericórdia de Passos, com oferta de cinco leitos que já estavam disponíveis e exclusão da ampliação de 15 leitos. Outra mudança ocorreu por conta da saída do Hospital de Campanha de Passos do plano de Contingência, uma vez que a Santa Casa havia ofertado sua estrutura em março até a presente data, e pelo alto custo de sua montagem, manutenção e contratação de profissionais, segundo o secretário municipal de Saúde, Evandro Bogo. Na microrregião de São Sebastião do Paraíso também houve mudança, com a saída da Santa Casa de Misericórdia de Monte Santo de Minas, que era referência municipal com dez leitos clínicos covid-19, do plano de Contingência.