Destaques Saúde

Sociedade Brasileira de Oftalmologia alerta para a síndrome visual

26 de outubro de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – A Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) fez um alerta para o aumento da Síndrome Visual Relacionada a Computadores (SVRC) durante a pandemia do novo coronavírus. É estimado que 90% dos usuários de computador apresentem sintomas da síndrome. De acordo com a SBO, devido ao distanciamento social, as pessoas estão usando cada vez mais smartphones, tablets e computadores, aumentando os riscos para a visão. O oftalmologista Wesley Menegate, de Passos, diz que a SVRC é uma série de sinais e sintomas que surgem nas pessoas que utilizam o computador por várias horas durante o dia.

“Entre esses sintomas, temos ardor, vermelhidão, visão borrada, sensação de corpo estranho e dor ocular. Podemos preveni-la fazendo pausas e descansos periódicos, de hora em hora, por alguns minutos, olhando no horizonte sem fixar em nada, e pausas maiores, a cada quatro horas, gerando, assim, menos fadiga no sistema acomodativo visual. Além do uso sistemático de lubrificantes oculares e a correção visual adequada das ametropias existentes. A iluminação adequada do ambiente, uso de telas de LCD e a postura em relação às telas também são importantes”, explicou o médico.

Segundo Menegate, o uso das telas pode também vir a ser um dos causadores do aumento de pessoas com miopia.

“A miopia tem aumentado muito no mundo todo, principalmente nas crianças. Isso se deve ao grande aumento do uso de dispositivos eletrônicos e à diminuição das atividades ao ar livre. O uso destes dispositivos por tempo prolongado pode causar o que chamamos de esforço de acomodação, gerando uma visão borrada para longe, o que, popularmente. pode ser chamado de falsa miopia, que melhora com o descanso e após o sono. Esse esforço e essa condição acontecendo frequente e repetidamente, podem, sim, levar à miopia”, afirmou.

De acordo o oftalmologista Joaquim Valle, também de Passos, ainda não há estudos científicos com índice de confiabilidade que abordem o aumento de pessoas com miopia durante a pandemia. Ele explica, no entanto, que “há estudos confiáveis de que a maior exposição, durante a infância e adolescência, a atividades de esforço visual para perto podem aumentar um pouco a evolução da miopia em relação a jovens que realizam mais atividades externas”, mas nenhum que correlacione o problema ao isolamento social no período da pandemia.