Destaques Saúde

Seis vacinados relataram efeitos colaterais em Piumhi

Por Laura Oliveira Hostalácio / Folha da Manhã com Onda Oeste FM

6 de fevereiro de 2021

Foto: Agência Brasil

PIUMHI – Em Piumhi, após o início da primeira etapa de vacinação contra o novo coronavírus para trabalhadores da área da saúde, seis profissionais, até o momento, relataram ter sentido efeitos colaterais em relação ao imunizante. A secretária de Saúde do Município, Rosângela Guerra, explicou que todos os eventos foram classificados como leves.


Você também pode gostar de:

Em entrevista, Rosângela afirmou que o ocorrido era esperado. “Eventos adversos são comuns de acontecer em todas as vacinas que temos no programa nacional de imunização”, disse ela, “A maioria das vacinas tem alguma reação, seja ela febre, vermelhidão, dor no local, isso é muito comum”, afirma. Segundo ela, “o que tem acontecido é que, pela vacina ser nova, é necessário notificação e monitoramento de qualquer reação adversa. A intenção é que isso sirva de base para pesquisas futuras estudarem os efeitos da vacina no organismo e, assim, saber se o sintoma realmente é um efeito adverso, ou se é uma reação comum“.

A secretária afirmou ainda que das 300 primeiras doses da vacina, apenas duas apresentaram sintomas. “Foram dois eventos adversos leves, enjoo, vista turva, só isso”, disse ela. Já na segunda etapa, em que vieram cerca de 400 doses, quatro pessoas relataram efeitos colaterais.

Dois deles eu até considero que sejam coisas de nervosismo, ansiedade e preocupação. Quando a gente conversava com o paciente, foi fluindo bem tranquilo. Em poucos minutos a pessoa voltou ao normal e não estava sentindo mais nada”, ressaltou.

Os efeitos mais graves notificados foram apenas febre e dor no corpo. “Não teve nada de falta de ar, nada disso. Tomou medicamento para febre, passou e não teve mais nada”, disse Rosângela. A secretária ressalta que todas as pessoas vacinadas estão sendo monitoradas, além de notificações aos órgãos regionais. “Porque é comum isso acontecer, mas como é uma vacina nova, nós temos que notificar e tranquilizar as pessoas”, disse.