Destaques Saúde

Santa Casa de Piumhi deve receber R$1,4 milhão para combate à covid

Laura Oliveira Hostalácio / Folha com Onda Oeste FM

9 de junho de 2020

Foto: Divulgação

PIUMHI – O Governo Federal divulgou a destinação de R$2 bilhões em recursos públicos de auxílio financeiro emergencial para os hospitais filantrópicos do Brasil, representados pela Confederação das Misericórdias do Brasil (CMB). Entre os beneficiados está a Santa Casa de Misericórdia de Piumhi, que espera receber R$1,437 milhão. De acordo com a diretora executiva do hospital, Amanda Costa, essa verba só pode ser utilizada no combate ao avanço da covid-19 no município.

A CMB, junto ao Governo Federal, iniciou um trabalho de busca de recursos para o combate ao vírus, o que culminou na lei nº 13.995 do dia 5 de maio. A partir disso, foram feitas duas portarias, uma no valor de R$337 mil e outra destinando mais R$1,1 milhão para a Santa Casa de Piumhi. Nos dois casos, os valores ainda não foram enviados ao hospital.

Esse valor ainda não chegou no hospital, ele passará pelo estado de Minas Gerais e será repassado à Santa Casa de Piumhi no momento oportuno, através da elaboração de um contrato específico para utilizar desses recursos”, disse a diretora.

O montante é específico para combate ao novo coronavírus. Devido à cidade de Piumhi estar em uma situação privilegiada em relação a isso, existe uma preocupação da diretoria com relação a este dinheiro.

É possível, se o comportamento dessa doença se manter como agora, que parte desse recurso seja devolvido para os cofres da União”, relatou Amanda.

Na legislação, “esses recursos deverão ser utilizados para compra de medicamentos, suplementos, insumos, produtos hospitalares, aquisição de equipamentos, pequenas adaptações, reformas para aumento de leitos e definição de protocolos assistenciais para a combate à covid-19”, de modo que não é permitido sua utilização em outras finalidades. De acordo com Amanda, isso é importante deixar claro para a população, pois “a gestão desse recurso é muito delicada, é uma gestão muito complexa e tem que ser feita com muita responsabilidade”, disse ela.