Destaques Saúde

Santa Casa de Piumhi atua com equipe reduzida

Por Laura Abreu / Especial

29 de dezembro de 2020

A nota, emitida pelo Conselho Diretor da Santa Casa, repercutiu nas redes sociais. / Foto: Divulgação

PIUMHI- A Santa Casa de Misericórdia de Piumhi divulgou uma nota de esclarecimento à população neste sábado, 26, sobre seu quadro de funcionários. No documento, a instituição informa que está atuando com equipes reduzidas devido ao aumento de casos de covid-19, o que gerou afastamentos e redução de profissionais. A nota, emitida pelo Conselho Diretor da Santa Casa, repercutiu nas redes sociais e destaca que, além da covid, há ainda aumento no número de acidentes, decorrente do período chuvoso.

É importante destacar que nossos colaboradores estão na batalha contra a covid desde março, sem cessar, e, mesmo cansados, com medo e muitas vezes pressionados, se mantém firmes no trabalho, para que nosso hospital siga atendendo a todos, da melhor forma possível. Todas as medidas de gestão de pessoas estão sendo tomadas, desde o início da pandemia, e sabemos que a falta de mão de obra assistencial é uma dificuldade enfrentada pelos demais hospitais da região”, diz o comunicado.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Município
  • Passos

A diretora técnica da instituição, Graciele Paiz, em um pronunciamento feito em uma rádio, pediu compreensão da população e esclareceu que a atual situação do hospital não é em decorrência de falta de recursos. Paiz comentou, ainda, sobre a ocupação do hospital e frisou que há capacidade para receber novos pacientes, mas que a falta de mão de obra coloca em alerta a instituição.

Segundo o plano de contingência do Estado, todos os casos suspeitos ou confirmados de covid-19 que necessitam de intubação ou leito CTI, são enviados para a Santa Casa de Passos. Por tanto, em Piumhi os leitos são destinados aos casos clínicos, que tem se mantido alto devido ao aumento de acidentes, diabetes, insuficiência cardíacas e cirurgias ortopédicas.

No início da pandemia, a nossa taxa de ocupação ficou mais baixa e isso nos permitia redimensionar melhor a nossa equipe, que já é mais reduzida. Com o decorrer dos meses, os atendimentos voltaram ao normal, para ortopedia e pronto-socorro. Geralmente a gente tinha duas, no máximo três semanas mais críticas nas internações dos isolamentos e depois normalizava. Nesse último mês, a taxa de ocupação tem se mantido mais alta.

Os pacientes têm internados mais graves e tem se mantendo assim, não houve queda como houve das outras vezes e isso que nos deixou em alerta. A nota que fizemos não foi para gerar pânico na população, mas sim para alertar. A enfermagem vai muito além do que muitas pessoas imaginam e, infelizmente, esses profissionais estão em falta no mercado devido a desvalorização sofrida há anos, a Santa Casa inclusive tem um projeto para capacitar profissionais para trabalharem na nossa instituição”, explicou Paiz.

Para exemplificar como as equipes estão expostas ao vírus e podem ser infectadas, a diretora técnica citou que há pacientes que omitem que estão sintomáticas ao fazer a triagem e que isso acaba expondo toda a equipe, sendo que cada vez que um paciente está sintomático é necessário fazer a desinfecção do consultório. Outro episódio em que a equipe médica ao atender um caso de urgência devido ao um acidente, foi hostilizada por pessoas que aguardavam o atendimento, é citado por Paiz, dessa vez para pedir a colaboração da população.

Município

A secretaria de saúde de Piumhi, Aline Barbosa, comentou que ficou sabendo da situação da SCMP pelas redes sociais também e que conversou com a diretora técnica, mas que, como o problema é interno, não há como a prefeitura ajudar.

Esse gerenciamento de Recursos Humanos não passa por nós. Na verdade, o que acontece, é que houve vários pedidos de demissões e vários profissionais que estão afastados em decorrência da covid-19. São questões de falta de recursos humanos, não é nenhuma questão orçamentária, a prefeitura, inclusive, passou um recurso na ordem de R$780 mil no início da pandemia”, pontuou.

Aline disse ainda que o município está de “portas abertas” para a instituição, mas que a prefeitura também enfrenta dificuldades com o seu quadro de funcionários.

O município não tem como ajudar porque o próprio município está com limitação profissional, tem médico afastado e toda semana uns 3 ou 4 que saem, então não adianta ceder para a Santa Casa e deixar o município sem também. A gente preocupa porque é uma instituição que é a porta do que temos aqui, não só de Piumhi, mas para a microrregião. Como também estamos no período de transição, fica difícil qualquer atitude, não existe um ato que possa ser feito para mobilizar porque vai entrar uma nova gestão e não sabemos como vai ser. Porém, acredito que terá um olhar diferenciado para a Santa Casa, assim como tivemos”, declarou.


Passos

O índice de ocupação nos leitos da Enfermaria Covid-19 subiu de 16% para 56% na Santa Casa de Misericórdia de Passos, entre domingo, dia 27, e esta segunda-feira. Segundo informações do hospital, o número de leitos ocupados passou de 4 para 16. Na UTI Covid-19, o índice aumentou de 20% (seis unidades ocupadas) para 30% (nove unidades ocupadas). De acordo com a Santa Casa, desde ontem, o boletim divulgado pelo hospital conta, em sua taxa de ocupação dos leitos, casos confirmados e suspeitos sugestivos pelas condições clínicas para a covid-19.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 28, pela Prefeitura de Passos, o município já registrou 1.853 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, sendo que 1.787 já se recuperaram, 26 estão em recuperação, nove estão internados e 31 morreram.

Você também pode gostar de:

Marinha realiza ‘Operação Verão 2020/2021’ na região