Destaques Saúde

Santa Casa de Passos destina mais dez leitos para UTI Covid

30 de março de 2021

Segundo o superintendente-geral da Santa Casa, Daniel Porto Soares, o remanejamento no número de leitos será efetivado no início do mês de Abril. / Foto: Divulgação

PASSOS – Em reunião nesta segunda-feira, 29 de Março, com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Prefeitura Municipal de Passos, Ministério Público e Associação dos Municípios da Microrregião Do Médio Rio Grande (AMEG), a Santa Casa de Misericórdia de Passos comunicou que irá realizar o remanejamento de dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) utilizados para atendimento geral para assistência a pacientes com covid-19.

Segundo o hospital, a decisão conjunta se faz necessária devido ao aumento do número de casos e internações na Santa Casa. Nos últimos dez dias, a UTI Covid da instituição manteve a marca de 100% de ocupação. Segundo o superintendente-geral da Santa Casa, Daniel Porto Soares, o remanejamento no número de leitos será efetivado no início do mês de Abril.

A medida implica que o número de leitos de UTI para outras patologias será reduzido a 18, enquanto, para pacientes com covid, a UTI adulto tenha 50 leitos”, disse.

Como recorda Daniel, em dezembro a Santa Casa de Passos dispunha de 30 leitos de UTI para covid, dos quais apenas dez eram credenciados pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Em janeiro de 2021, observando o aumento da demanda por internações, a instituição remanejou mais dez leitos para covid, totalizando 40 leitos de UTI, sendo que 20 contam com o financiamento do Ministério da Saúde e os outros 20 ainda estão aguardando posicionamento da SES-MG sobre seu custeio.

A Santa Casa neste momento tão desafiador entendeu como importante se compromissar e realizar esta disponibilização, visando a tranquilidade e assistência dos mais de 20 municípios em que a instituição é referência para atendimento à covid-19”, afirma Daniel.

Mesmo com os 50 leitos de UTI, o superintendente geral da Santa Casa reforça a necessidade da população adotar medidas de prevenção à doença.

Este remanejamento não é motivo de relaxamento para a comunidade, pois segundo o cenário que temos enfrentado, essa quantidade ainda vai ser insuficiente com a demanda que temos recebido. No entanto, este é o limite de oferta que podemos disponibilizar. Precisamos que toda a população continue colaborando para que possamos sair o mais rápido possível dessa situação”, reforça Daniel.