Destaques Saúde

Santa Casa completa 10 dias com 100% de ocupação na UTI Covid

Por Gabriella Alux/ Especial

18 de Maio de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS – Ontem, 17, a Santa Casa de Misericórdia de Passos (SCMP) completou dez dias com os 50 leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Covid-19 ocupados. De acordo com o boletim divulgado pelo hospital nesta segunda-feira, são em 91 pacientes internados em decorrência da doença, sendo 41 na Enfermaria Covid-19, que tem capacidade para 45, e 50 na UTI. Do total de pacientes, 55 são moradores de Passos.

Em seguida, aparecem Cássia e Carmo do Rio Claro, com cinco pacientes cada, São João Batista do Glória, Bom Jesus da Penha e São José da Barra, com quatro pacientes cada, Itaú de Minas, com três pacientes, e Alpinópolis e Capitólio, com dois pacientes cada. Boa Esperança, Delfinópolis, Fortaleza de Minas, Guapé, Ilicínea, Nova Resende e São Roque de Minas têm um morador, casa, internado na SCMP.

De acordo com o diretor técnico da SCMP José Ronaldo Alves, houve um aumento expressivo do número de casos nos últimos dias, após um curto período de queda da taxa de ocupação dos leitos de UTI Covid.

Além de 100% na UTI, a enfermaria tem taxa de ocupação superior a 90%, o que nos preocupa bastante, pois pacientes que estão na enfermaria podem ter agravamento rápido do quadro e necessitarem de leito de UTI e ventilação mecânica invasiva. Soma-se a taxa de ocupação, a dificuldade de reposição de medicamentos sedativos, analgésicos e relaxantes musculares utilizados nos pacientes que estão em ventilação mecânica”, declarou o médico.

Segundo José Ronaldo, há no Sistema Único de Saúde (SUS) muitos pedidos para internações de pacientes de Passos e região.

Estamos vivendo um momento extremamente grave. Um cenário muito difícil. Percebemos que toda vez que há afrouxamento das medidas protetivas, há aumento do número de casos e, consequentemente, maior necessidade de leitos para internação de enfermaria e UTI”, disse.

O diretor acrescenta que é necessário que todos tenham consciência da gravidade e que façam sua parte para colaborar com a redução da transmissão da covid-19 na comunidade e região.

Não sabemos quando tudo isso terminará. Enquanto isso, temos que aprender a conviver com a covid-19 até que toda população seja efetivamente vacinada. Vamos focar no uso correto da máscara, evitar aglomeração, manter distanciamento social de 2 metros e lavar as mãos com bastante frequência”, finalizou ele.