Destaques Saúde

Saiba como cuidar da sua audição

20 de novembro de 2020

Saiba possíveis formas de prevenção contra a surdez e como detectar se está com a audição comprometida. / Foto: Divulgação

A perda auditiva é uma das deficiências mais comuns na população brasileira. Neste mês de novembro, o País comemora o Dia de Prevenção e Combate à Surdez para conscientizar as pessoas sobre a importância de manter cuidados diários com a audição.

De acordo com o Ministério da Saúde, a deficiência auditiva ou diminuição da capacidade de ouvir pode ser causada por uma série de fatores: otites mal curadas ou de repetição; uso de remédios ototóxicos – prejudiciais à audição; problemas no tímpano, tumores, envelhecimento, frequentar ou trabalhar em locais barulhentos; uso contínuo de fones de ouvido em volume alto; hereditariedade, entre outros fatores.

Sempre que sentirem uma diminuição na audição ou zumbido, que pode ser o primeiro sinal de perda auditiva, as pessoas devem buscar a orientação de um médico otorrinolaringologista“, explica a fonoaudióloga Marcella Vidal, da Telex Soluções Auditivas. Apesar do distúrbio ser frequente em idosos devido à degeneração das células sensoriais da audição ou do nervo auditivo, a perda auditiva também pode atingir crianças, adolescentes e adultos; e isso já vem ocorrendo em escala cada vez maior por causa dos estímulos sonoros que nos rodeia.

O médico Eduardo Bogaz, otorrinolaringologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, respondeu uma série de perguntas sobre prevenção à surdez e como cuidar da saúde auditiva:

Como é possível prevenir a surdez?

O sistema auditivo sofre influência de fatores internos e externos. Cuidados relacionados à atenuação do estresse oxidativo, que leva a uma deterioração precoce de células e funções do organismo, como não fumar, controlar pressão arterial, glicemia e colesterol e não ingerir bebidas alcoólicas excessivamente contribuem para que uma pessoa geneticamente predisposta a ter uma perda auditiva induzida pela idade, o tenha de forma mais amena ou lenta, na análise de Eduardo Bogaz.

Vale lembrar que todas as pessoas, após certa idade (cerca de 40 anos) podem ter um declínio auditivo que faz parte do processo de senilidade e que pode ocorrer de forma mais ou menos rápida dependendo do estado de saúde e hábitos ao longo da vida”, acrescenta o médico.

Em relação aos fatores externos, o principal é o cuidado com a quantidade de exposição a ruídos ao longo da vida laboral ou mesmo social, lembrando que certas exposições, como excessos no uso de fones de ouvido, podem prejudicar a audição.


De que maneira a surdez afeta o dia a dia das pessoas?

A surdez afeta desde a infância até a terceira idade. “Em crianças em desenvolvimento, a perda auditiva antes dos dois anos de idade pode inviabilizar a aquisição de código linguístico oral, o que gera uma sequela importante do desenvolvimento humano para toda a vida. Quadros mais amenos ou em crianças mais velhas podem gerar grandes dificuldades de aprendizagem”, ressalta o otorrinolaringologista. No adulto em idade ativa, a perda auditiva pode gerar dificuldades de socialização ou desempenho laboral e no idoso afastamento e isolamento social e familiar, depressão.


O grau de surdez pode ser agravado com o passar da idade?

Sim, a senilidade que são as alterações degenerativas que ocorrem no organismo humano mais acentuadamente após os 40 anos também afetam as células auditivas podendo levar a perda auditiva mais ou menos intensa dependendo de fatores genéticos, cuidados com a saúde geral citados acima e exposição a ruído excessivo ao longo da vida.