Destaques Saúde

Rotary Club de Paraíso realiza testes de covid-19

13 de agosto de 2020

Foto: Divulgação

S. S. PARAÍSO – O Rotary, organização humanitária internacional, destinou recursos para testagem do novo coronavírus em quase dez mil pessoas em asilos de vários estados com o programa “Corona Zero”. E em São Sebastião do Paraíso não foi diferente. O projeto iniciou na Gestão 2019/20 quando o presidente Jairo Montaldi juntamente com governador assistente Cláudio Mendonça procuraram o Asilo São Vicente de Paulo e a Chácara Pedacinho do Céu, que aderiram de pronto ao projeto. O secretário municipal de Saúde também deu aval para a execução dos testes e, em seguida, foram feitos os pedidos dos kits para o Rotary Internacional.

Na manhã de segunda-feira, 10, foram realizados cerca de 150 testes, sendo 41 na chácara pedacinho do Céu e 108 no Asilo São Vicente de Paulo. Os testes foram o swab, onde um cotonete é introduzido nas narinas e levado para o laboratório, como explica a presidente Líria. Após a coleta, o material foi levado para análise em laboratório na cidade de Barueri (SP). Os resultados deverão ser liberados em cindo dias úteis.

A nossa missão é ajudar no combate à covid. É fundamental que o Rotary não fique omisso nesse momento de pandemia”, disse o presidente do ano rotário 2019/2020. A realização de testes rápidos ou laboratoriais para a detecção da covid-19 é muito importante para o município, pois diagnosticar mais pessoas ajuda a dimensionar o tamanho do problema e a criar novas ações para diminuir a propagação do vírus, além de conseguir tratar mais pacientes e evitar a contaminação, ressaltou a atual presidente do Rotary Líria Oliveira.

Residentes em asilos são, tipicamente, adultos mais velhos e com doenças crônicas. Assim, são particularmente suscetíveis a complicações severas e mortalidade pela covid-19. Ao contrário de um hospital, asilos são o lar das pessoas. Frequentemente, moradores vivem próximos uns aos outros, por isso pode ser muito desafiador remover ou colocar em quarentena os residentes, quando ficarem doentes. Além disso, cuidadores auxiliam os residentes de quarto em quarto, o que torna mais difícil limitar a propagação do vírus, disse o presidente do Asilo Leonardo Borges.

A aplicação dos testes dará mais tranquilidade aos funcionários das instituições de acolhimento e colaboradores. Esta soma de esforços coloca a cidade numa situação favorável neste momento em relação à pandemia”, afirmou Jairo Montaldi.