Destaques Saúde

Região tem 153 casos prováveis de dengue

Por Talita Souza / Redação

24 de fevereiro de 2021

Na região não há óbitos em decorrência da dengue em 2021. / Foto: Divulgação

PASSOS – Os municípios da região registraram 153 casos prováveis de dengue e nenhum caso de chikungunya e zika na última semana. Segundo o boletim epidemiológico de monitoramento dos casos de dengue, chikungunya e zika, divulgado ontem, 23, pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Piumhi aparece com 46 notificações, sendo o local com o maior número na região.

São Sebastião aparece em segundo lugar, com 44 notificações, seguido por Passos (33), Capitólio (13), Itaú de Minas (4), Alpinópolis (3), Doresópolis (3), São José da Barra (3), São João Batista do Glória (2), Capetinga (1) e Jacuí (1). Os demais municípios da região não apresentaram nenhum caso provável da doença.

Em comparação com o penúltimo boletim, divulgado no dia 10 de fevereiro, houve um aumento de 11 novos casos prováveis de dengue na região. Em Piumhi, foram seis novas notificações da doença. Em São Sebastião do Paraíso, foram quatro e Capitólio, Itaú de Minas, Jacuí e São José da Barra apareceram no novo boletim com um novo caso provável em cada município.

Alpinópolis, Capetinga, Passos e São João Batista do Glória mantiveram o número de notificações de dengue do penúltimo boletim. Doresópolis apareceu com dois casos prováveis a menos e Monte Santo de Minas, que aparecia com uma notificação da doença, apareceu sem nenhum caso provável no novo boletim.

O Estado de Minas Gerais, de acordo com o último boletim da SES, registrou, até o momento, 5.716 casos prováveis de dengue, 1.582 casos confirmados, um óbito confirmado e tem três óbitos em investigação. Minas tem 1.118 casos prováveis e 272 confirmados de chikungunya e 62 casos prováveis e quatro confirmados de zika vírus.


Termópolis terá mutirão antiaedes

S. S. PARAÍSO – A Vigilância em Saúde da Prefeitura de São Sebastião do Paraíso realizará neste sábado, 27, na comunidade de Termópolis, a partir das 8h, mutirão da dengue para o recolhimento de entulhos. O objetivo é reduzir os focos do mosquito Aedes Aegypti, causador da dengue, chikungunya e zica vírus. A mesma ação foi realizada há duas semanas no distrito de Guardinha, de onde foram removidos seis caminhões de materiais que poderiam servir à proliferação do mosquito.

A ação vem de encontro com a meta do Município em reduzir os índices de infestação do vetor da doença que, atualmente, é de 10%. Os trabalhos têm surtido efeito, segundo o coordenador do Controle de Zoonoses, Luciano Santana. Ele ressalta que em Guardinha, depois da ação realizada no dia 13 deste mês, não foram notificados novos casos suspeitos da doença.

Diminuiu o número de focos naquele local, conforme relatado pelos agentes que atuam no distrito. Claro que ainda temo muito a melhorar, mas o mutirão é de grande valia na luta contra a dengue. Nossa ideia é fazer a ação em Termópolis tal como fizemos em Guardinha, e retirar o máximo de materiais possíveis que possam acumular água”, destacou.

Luciano ressalta que é o momento ideal para se fazer essas ações, tendo em vista o período de chuvas. “Depois que chove, vem o sol e acaba criando um ambiente muito propício para a proliferação do mosquito. Para que isso não ocorra e a doença se propague precisamos interromper o ciclo de reprodução do Aedes Aegypti”, completa Luciano Santana.

Além do mutirão da dengue, também serão realizadas outras ações envolvendo as secretarias de Saúde, de Obras, Serviços Públicos e Planejamento Urbano, e a de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agropecuário. Entre as muitas ações realizadas por estas secretarias, estará melhorias das ruas e plantio de árvores.