Destaques Saúde

Prefeitura e Uemg se reúnem para discutir laboratório covid

Por Mayara de Carvalho/ Redação

16 de janeiro de 2021

Dinheiro para compra do aparelho que detecta Covid-19 está parado no caixa da prefeitura. / Foto: Divulgação

PASSOS – O Laboratório de Biologia Molecular da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) unidade Passos, que pode fazer testes para covid-19, ainda não abriu as portas. Prefeitura e universidade se reuniram em 11 de maio de 2020 para discutir detalhes e etapas para a inauguração do espaço, no entanto, após sete meses do início do projeto, apenas a Uemg fez adaptações para que as normas estruturais fossem cumpridas.


Você também pode gostar de:

LIRAa aponta para risco de epidemia de dengue em 2021

O investimento que seria parte do município, R$485 mil para a compra dos primeiros mil kits individuais e para a aquisição do aparelho Real Time PCR System, que veio para Passos por meio de emenda parlamentar do senador Rodrigo Pacheo, está no caixa do município desde novembro do ano passado.

De acordo com o diretor da Uemg em Passos, Itamar Teodoro, no último dia 7, em reunião para resolver questões sobre o convênio que atende o curso de medicina da universidade, também foi discutido com a prefeitura sobre o laboratório.

O local foi criado emergencialmente para atender à demanda da covid-19, no entanto, ainda não estamos atendendo a população por falta dos kits e do aparelho que realiza testes genéticos”, disse. Teodoro explicou que outros exames podem ser feitos por meio do PCR System.

A covid-19 é o atendimento prioritário. No entanto, vários outros exames genéticos podem ser realizados quando o aparelho chegar e isso vai ser muito bom tanto para nossos munícipes quanto para os alunos da área da saúde”, explicou.

Ainda segundo o diretor da universidade, o prefeito Diego Oliveira se mostrou aberto para tomar medidas internas que agilizem a aquisição do aparelho, que testa vários tipos de arboviroses.

Só podemos começar os trabalhos se o aparelho chegar. O PCR System faz exames genéticos que detectam a presença do vírus no organismo. Isso porque quando fazemos um exame pela sorologia, o que se detecta é o anticorpo produzido pelo organismo do paciente e, para isso ocorrer, é necessário aguardar o prazo de uma semana. Já o PCR detecta o próprio vírus e o resultado do exame sai em duas horas”, disse. O aparelho ainda detecta vários tipos de arboviroses como zika, dengue, chikungunya, febre amarela e doenças transmitidas por artrópodes, como as aranhas, por exemplo.


Equipamento pode traçar mapa epidemiológico

PASSOS – O professor doutor do curso de biomedicina da Uemg em Passos Marlon Vilela de Brito, coordenador do Laboratório de Biologia Molecular da universidade, afirma que um mapa epidemiológico poderá ser traçado de forma melhorada quando os testes começarem.

Dá, até mesmo, para saber onde tem maior incidência do vírus. O poder público, irá, desta forma, direcionar melhor os esforços e recursos da saúde para atender a população de maneira mais eficaz. É um pensamento parecido com que temos em relação à dengue. Se os bairros X e Y têm mais focos, direciona-se a força tarefa lá. Outro ponto importante é que os alunos que precisam de formação laboratorial vão poder usar o espaço para cumprir parte do estágio e aprender a atuação em laboratórios”, falou.

O laboratório deve ser instalado na Rua Sabará, complexo D4. Os cursos de saúde da Uemg em Passos que têm disciplinas laboratoriais são biomedicina, enfermagem, medicina, nutrição, estética, educação física, biologia e ciências biológicas.

Para o vice-prefeito e secretário interino de Saúde de Passos, Arlindo Nascimento, disse que o dinheiro para a compra do aparelho está disponível desde novembro de 2020.

Essa verba está no caixa desde novembro. O crédito abriu agora. O processo é o seguinte, temos um convênio com a Uemg, então, vamos ver as cláusulas e, a partir disso, fazer as compras. Temos muitos recursos e vamos executar tudo que ficou parado. Na segunda-feira, 18, vamos nos reunir com o secretário de planejamento e direção da Uemg para ver tudo certinho e usar esse crédito de R$500 mil para colocar o laboratório em funcionamento”, disse.

Segundo Nascimento, também devem ser adquiridos equipamentos de proteção individual, (EPIs) como luvas, máscaras e os kits de testagem inicial. “Vamos retomar o processo para a aquisição desses itens”, afirmou.