Destaques Saúde

Prefeitos se mobilizam para evitar colapso

30 de março de 2021

Todos os 20 municípios participantes da reunião concordaram em contribuir com a Santa Casa de Passos. / Foto: Divulgação

PASSOS – Por conta do agravamento da pandemia na região, os prefeitos de cidades que compõem a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) reuniram-se de forma extraordinária na sede da entidade em Passos.

Estiveram presentes na tarde desta segunda-feira, 29, os prefeitos e representantes de Alpinópolis, Capetinga, Carmo do Rio Claro, Cássia, Fortaleza de Minas, Guapé, Ibiraci, Itaú de Minas, Passos, Piumhi, Pratápolis, São João Batista do Glória e São José da Barra. Participaram via videoconferência prefeitos e representantes de Capitólio, Claraval, Doresópolis, Guapé, Pimenta, São Roque de Minas e São Tomás de Aquino.

Após uma reunião entre o prefeito de São José da Barra e presidente da Ameg, Paulo Sérgio Leandro de Oliveira, o Serginho, o prefeito de Passos, Diego Oliveira e a diretoria da Santa Casa de Passos foi verificada a necessidade de uma mobilização para socorrer o hospital e evitar um colapso por falta de leitos e medicamentos, além de uma preocupação quanto às equipes que atuam na estrutura que é regional.

Conforme Serginho, será de extrema importância que todos os municípios que dependem da estrutura da Santa Casa de Passos contribuam para que pacientes graves que precisem de leitos de enfermaria e leitos de UTI Covid-19 não fiquem sem atendimento.

Até aqui a Santa Casa tem nos ajudado muito recebendo nossos pacientes mais graves, mas, a demanda está tão grande que já há um risco de faltar medicamentos e leitos, tanto de enfermaria quanto de UTI. Então, nós temos que fazer um esforço conjunto e dar esse aporte, para que as equipes técnicas reorganizem a estrutura para que o hospital não entre em colapso”, explicou o presidente da Ameg aos colegas gestores.

Todos os 20 municípios participantes da reunião concordaram em contribuir com a Santa Casa de Passos. A meta é que se consiga reunir um montante próximo a um milhão de reais, o que, segundo o presidente da Ameg, seria o bastante para evitar um colapso em curto prazo. A secretária de saúde de Pimenta, Linara Domingos, salientou a importância da mobilização em favor dos hospitais que enfrentam a lotação total de leitos.

Nossa luta é muito grande e todos temos que ajudar. O momento pede que seja criada uma verdadeira marcha para a saúde e a participação de todos os prefeitos é fundamental”, comentou.

Nós estamos travando uma luta muito dura contra o Covid-19 e a Santa Casa tem sido uma parceira fundamental para os municípios. Se hoje nós podemos receber de volta nossos conterrâneos recuperados dessa doença, muito se deve aos cuidados desse hospital. Nós prefeitos estamos muito sobrecarregados, mas, nós vamos vencer essa guerra”, finaliza Serginho.

Apesar de não ser uma unanimidade, alguns prefeitos não descartam adotar nos próximos dias o lockdown em seus municípios como forma de diminuir o risco de contaminações e consequentemente piorar ainda mais a situação dos hospitais da região que atendem pacientes graves com covid-19.