Destaques Saúde

Piumhi fornece ivermectina e azitromicina

4 de março de 2021

Como a distribuição é gratuita nas UBS o cidadão cadastrado na unidade deve cobrar do médico os remédios durante a consulta. / Foto: Divulgação

PIUMHI – A Secretaria de Saúde de Piumhi mantém a ivermectina, a azitromicina, vitaminas e outros medicamentos no protocolo do município contra o novo coronavírus. Segundo a secretária de Saúde, Rosângela Guerra, os remédios têm sido usados para prevenção e tratamento da covid-19, e são distribuídos gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).


Você também pode gostar de: Acusado de comandar tráfico no Santa Luzia, pastor é preso

De acordo com Rosângela, o protocolo de medicamentos iniciou em janeiro deste ano. Estão sendo distribuídas vitaminas C, D e Zinco, tanto em comprimidos para adultos, quanto em suspensão para crianças de 3 a 9 anos. “O objetivo é aumentar a imunidade e prevenir, para estarmos melhores caso acontecer a infecção”, afirmou a secretária.

No caso da ivermectina, o medicamento será usado como preventivo e no tratamento da doença. “Ele deve ser ofertado na primeira semana de positivado, quando os primeiros sintomas aparecerem”, disse Rosângela.
Com a azitromicina, mais cuidados são necessários devido ao fato do medicamento ser um antibiótico, que deve ter uso monitorado e regulado.

Geralmente, o tratamento é contínuo, por pelo menos 7 dias, mesmo com o desaparecimento dos sintomas. Isso acontece porque esse tipo de medicamento é usado para tratamento de bactérias sensíveis a cada tipo de antibiótico, de modo que a utilização sem monitoração pode influenciar na proliferação de microrganismos resistentes. Segundo a secretária, a azitromicina só será ofertada se, durante o tratamento das complicações da covid, for necessário o uso de antibiótico atestado por um médico.

Como a distribuição é gratuita nas UBS, a secretária de Saúde afirma que é direito do cidadão cadastrado na unidade cobrar do médico os remédios do protocolo durante a consulta. Ela afirma que só é necessário assinar um termo de consentimento.

A gente sabe que estavam tendo estudos, mas que não tem nada ainda concreto. Por isso pedimos o consentimento, que nada mais é que uma assinatura para responsabilidade das pessoas que queiram usar”, afirma a secretária.