Destaques Saúde

Passos volta ao Minas Consciente

Por Mayara de Carvalho/Redação

20 de janeiro de 2021

Os municípios mantêm a obrigatoriedade do uso de máscaras nas vias públicas e o cumprimento de protocolos de segurança. / Foto: Arquivo FM

PASSOS – Representantes de prefeituras que integram a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) se reuniram nesta terça-feira (19), de forma online, e decidiram fazer um decreto coletivo, que deve vigorar a partir de hoje (20), para tentar conter o aumento nos casos e nas mortes por covid-19.


Você também pode gostar de:

Passos, única cidade que não estava no Minas Consciente, volta, a partir de hoje, ao programa do governo estadual para a retomada da economia. Além de prefeitos, representantes da Regional de Saúde e da Santa Casa também participaram da reunião.

Com a volta de Passos, sete cidades da região estão na Onda Amarela e 14 municípios estão na Onda Vermelha, a mais restritiva e que prevê o funcionamento apenas de serviços essenciais. A medida deve vigorar até 28 de janeiro.
O presidente da Ameg, Paulo Sérgio Leandro de Oliveira, prefeito de São José da Barra, afirma que a decisão foi tomada pensando na população.

Não há mais leitos na Santa Casa de Passos. O hospital está com alta ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) destinadas à covid-19. Temos que pensar em saúde em primeiro lugar”, afirmou Paulo Sérgio.

O prefeito de Passos, Diego Oliveira, afirma que a cidade, ao entrar no Minas Consciente, passa, automaticamente para a Onda Vermelha. Segundo ele, o que levou o município a aderir ao programa foram os altos índices de ocupação nos leitos de UTI da Santa Casa.

O decreto coletivo, que começa a valer às 22 h de hoje, deve vigorar até 28 de janeiro. Ele deve tratar do funcionamento de atividades econômicas e deve levar em conta as fases que os municípios estão no Minas Consciente.

Atualmente, na Onda Amarela estão Carmo do Rio Claro, Fortaleza de Minas, Guapé, Pratápolis, São Roque de Minas, São Sebastião do Paraíso e São Tomás de Aquino. Já Alpinópolis, Capetinga, Capitólio, Claraval, Delfinópolis, Doresópolis, Ibiraci, Itaú de Minas, Passos, Pimenta, Piumhi, São João Batista do Glória, São José da Barra e Vargem Bonita estão na Onda Vermelha. Segundo o presidente da Ameg, o que vai abrir depende de cada onda e não há a opção de não adesão ao Plano.


Maioria das regiões do Estado permanecem na onda vermelha

BELO HORIZONTE – O Comitê Extraordinário Covid-19 definiu, nesta na última semana, que a macrorregião Noroeste retornará para a onda amarela no plano Minas Consciente, fase que permite a abertura de alguns serviços considerados não essenciais, como bares (consumo no local) e salões de beleza. A região Sul está na Onda Vermelha.

O grupo também indicou a manutenção de outras dez regiões na onda vermelha, entre elas o Sul de Minas, quando somente os serviços essenciais têm o funcionamento autorizado, como padarias, supermercados, farmácias e bancos. Apenas a macrorregião Triângulo Sul permanece na onda verde, com a permissão de funcionamento de atividades não essenciais com alto risco de contágio, como cinemas, parques e teatros.

Segundo o governador Romeu Zema, a decisão foi tomada após a constatação do crescimento do número de casos e óbitos pela doença no estado. Foi registrado aumento de 6,5% nos casos confirmados em relação à semana anterior e de 4,4% no número de óbitos nos últimos sete dias. Zema fez mais um apelo à população para a manutenção das medidas protetivas.

Sei que todos já estão cansados de manterem estas restrições, de ficarem isolados, de usar máscara e manter o distanciamento social, mas nós precisamos deste esforço final. A vacina está para chegar a qualquer momento. Muito provavelmente neste final de janeiro ou início de fevereiro o processo de vacinação vai se iniciar. Peço encarecidamente à população que tome as medidas de precaução, porque os hospitais estão hoje com uma ocupação muito maior do que aquela que tivemos no primeiro pico da pandemia. Então todo o cuidado é recomendado”, reforçou o governador.