Destaques Saúde

Passos tem 86 nomes em lista de suspeitos de furar fila

Por Adriana Dias / Redação

19 de março de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS – Em lista divulgada na quinta-feira, 18 com mais de 1,8 mil trabalhadores da área da saúde de Minas Gerais que foram vacinados contra a covid-19 no interior do estado, 86 deles são de Passos.

O documento divulgado por uma emissora de rádio de Belo Horizonte e, posteriormente pelo jornal Estado de Minas deverá ser um dos analisados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para apurar as denúncias de fura-fila.

Nesta listagem alguns dos servidores estão em trabalho em casa, o que ficou bastante difundido durante a pandemia como home office. Assessoria da SRS Passos esclarece sobre o uso da vacinação nas regionais.

O título da planilha é “Servidores das Unidades Regionais de Saúde vacinados pelas Secretarias Municipais de Saúde”. Ao todo, são 1.852 nomes, acompanhados da Unidade Regional de Saúde responsável, lotação e motivo pelo qual a pessoa foi imunizada. As justificativas vão desde “acima de 60 anos”, passando por “Contato com o público”, “almoxarifados”, “trabalho presencial” e até “teletrabalho” (home office).

De acordo com a Saúde estadual, cada prefeitura é responsável por operacionalizar sua campanha de vacinação. Portanto, a vacinação de servidores de uma superintendência regional depende do município onde ela está localizada.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) esclareceu no início da noite desta quinta-feira, 18, por meio da Assessoria de Comunicação que os servidores das Superintendências Regionais de Saúde foram orientados conforme os critérios dos municípios de referência e segundo Deliberação entre os gestores municipais e estaduais por meio da Comissão Intergestores Bipartite do SUS MG (CIB), de 9 de fevereiro de 2021.

O documento esclarece que fazem parte dos grupos iniciais prioritários da vacinação os trabalhadores das Secretarias Municipais de Saúde, Secretaria Estadual de Saúde e órgãos estaduais de saúde que, em razão de suas atividades, tenham contato com o público.

A SES-MG esclarece que o fluxo de envio/recebimento de vacinas é fixo e único: o Ministério da Saúde envia ao estado o quantitativo de imunizantes. Estes insumos seguem para a central da Rede de Frio, onde são armazenadas em temperatura e condições ideais. De lá seguem para as Unidades Regionais de Saúde e o município busca as vacinas nas unidades regionais de saúde. É importante esclarecer que cada município é responsável por operacionalizar sua campanha de vacinação”, aponta a nota.

Ainda conforme o documento, só puderam se imunizar, nesse momento, os trabalhadores que: exerçam suas atividades na Rede de Frio Estadual, Centrais Regionais de Regulação Assistencial, Farmácias de Minas e Almoxarifado para garantir o funcionamento desses serviços.

Também foram imunizados trabalhadores que estão ou necessitam (com justificativa) ir para o campo (investigação, inspeções sanitárias, vistorias e visitas técnicas), garantindo que as ações sejam executadas nos territórios, principalmente os municípios em situação crítica para a covid-19.

Dentre as justificativas estão também os trabalhadores que precisam executar suas atividades presenciais para reduzir o risco de disseminação da doença e provocar, como consequência, um surto por covid. Sobre a listagem, vale ressaltar que o documento já foi encaminhado à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e refere-se às 27 Unidades Regionais de Saúde que procederam conforme critérios municipais.