Destaques Saúde

Passos registra ao menos uma ocorrência que envolve escorpiões por dia na cidade

Por Nathália Araújo / Redação

14 de outubro de 2021

A espécie mais encontrada é a Tityus Serrulatus, popularmente conhecida por “escorpião-amarelo” e sua picada pode levar à morte./ Foto: Reprodução.

PASSOS – Dados do Núcleo de Controle de Zoonoses e Animais Peçonhentos, da Secretaria Municipal de Saúde de Passos, mostram que, todos os dias, ao menos uma ocorrência envolvendo escorpiões é registrada nas unidades de saúde do município. A espécie mais encontrada é a Tityus serrulatus, popularmente conhecida por escorpião amarelo, que é capaz de provocar graves acidentes e possui toxina com efeito neurotóxico, que afeta o sistema nervoso e pode causar dores no local da picada, náuseas, suor, vômito e paradas cardíacas.

Segundo o diretor de Saúde Coletiva, Thiago Agnelo de Souza Salum, a espécie se adaptou ao meio urbano e está espalhada por todo o município.

“Ainda não registramos óbitos causados pela picada de escorpiões mas, isso é muito perigoso, especialmente para crianças e idosos. No período da seca, esses animais saem à procura de baratas, que são a base de sua alimentação. Já na época de chuva, quando ocorre a cheia dos esgotos, eles fogem das inundações. Isto é, já não existe mais um momento exato do ano em que a incidência é maior”, disse.

Para tentar conter os escorpiões, Salum afirma que uma equipe de profissionais foi criada para atuar diretamente com a população, oferecendo orientações e registrando as denúncias de quem encontra os animais e as notificações de pessoas picadas.

“A equipe vai até o local para falar com os moradores e, a partir disso, realizamos um trabalho de mudança de ambiente, isto é, aplicamos um inseticida para eliminar baratas e outro que previne escorpiões, já que estes ficam longe do local até que a substância perca o efeito. O escorpião é um animal muito sensível, qualquer coisa que o atinge, pode matá-lo; até mesmo aqueles venenos contra pernilongos”, afirma o diretor.

Sobre os cuidados para evitar a presença de escorpiões e outros animais peçonhentos, a recomendação do Núcleo de Controle de Zoonoses e Animais Peçonhentos é para que não sejam deixados restos de materiais de construção em locais inadequados e evitar entulhos, madeira e lixo nos quintais. Como os escorpiões também costumam viver em esgotos, outra forma de evitá-los é realizando a vedação das partes externas e internas dos imóveis. Também é importante evitar que móveis sejam encostados em paredes (especialmente camas e sofás) e que toalhas e roupas de cama fiquem longe do chão.

Em casos de picadas de escorpião ou suspeita, pessoas de todas as idades devem procurar, imediatamente, por atendimento médico de urgência e emergência, para que sejam tomadas as devidas providências. O soro antiescorpiônico é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pode ser aplicado de forma gratuito nas unidades de saúde.

Inseticida

A Secretaria de Saúde informa que um processo de licitação deve ser aberto para providenciar a compra de inseticida que foi utilizado na cidade há cerca de um ano e deve entrar em uma nova etapa de testes para verificar a eficácia. O veneno tem a aprovação do Ministério da Saúde e deve ser aplicado nos locais em que existe os maiores índices de denúncias e notificações de animais peçonhentos.