Destaques Saúde

Paciente de 60 anos está recuperada da covid-19

13 de agosto de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – Depois de 20 dias de angústias e momentos de incertezas, a família da administradora de empresas Márcia Helena Gomes Freitas de Castro, 60, anos teve um grande motivo para agradecer nesta quarta-feira, 12: a alta hospitalar após o diagnóstico da covid-19. Para Márcia, a data se tornou seu novo aniversário e a palavra gratidão é o resumo de toda a onda de sentimentos que se passam em seu coração. Moradora de Itumbiara (GO) e beneficiária da Unimed Sudoeste de Minas, ela veio para o Hospital Unimed no dia 24 de julho pela confiança que a família sente no trabalho de toda a equipe. Sua filha, a médica Graziela Castro Ribeiro do Valle, reitera esse sentimento de reconhecimento ao trabalho desenvolvido por todos os profissionais do hospital.

Márcia conta que os primeiros sintomas que sentiu foram febre e dor de cabeça persistente, seguida da falta de ar. Como a filha Angelita já havia sido diagnosticada com a doença, a administradora de empresas logo imaginou que também pudesse estar infectada. Com a comprovação pelo exame, a família teve que tomar a difícil decisão de que Márcia encarasse uma viagem de mais de 500 quilômetros de avião para se tratar em Passos, uma vez que consideraram que a assistência hospitalar em Passos seria mais adequada do que o tratamento que ela estava recebendo em Itumbiara. Visivelmente emocionada, ela conta que faltam palavras para expressar todo o agradecimento que ela sente pelo tratamento recebido.

Percebi que todo o trabalho no Hospital Unimed é feito com muito amor, com muito respeito e humanidade. Na sopa que eu tomava, eu sentia a boa energia da cozinheira que a tinha preparado, mesmo que eu não a tenha conhecido. No dia dos pais, eu estava chorando e um enfermeiro sentou-se ao meu lado e dedicou-se a me escutar. As minhas lágrimas poderiam não interessar para ele, mas ele teve a empatia de me ouvir naquele momento. Não consigo ainda me lembrar do nome de cada um dos médicos que me atenderam, mas a minha gratidão é eterna. Como tenho dois filhos médicos, também foi muito importante saber que a equipe aceitou sentar, conversar e discutir profissionalmente com eles qual seria o tratamento mais seguro pra mim. Eu só posso agradecer muito a Deus, a toda a equipe e aos que rezaram por mim e dizer que eu, realmente, renasci”, declara Márcia.

Desafio de ser médica e filha

Se para as pessoas que são leigas já é um grande desafio ter um ente querido enfrentando a covid-19, para um profissional de saúde esta situação é ainda mais difícil. Afinal, mesmo que a doença seja uma patologia nova para os médicos, os estudos e artigos científicos que são publicados na área todos os dias deixam claro que se trata de uma doença cuja evolução e sintomas diferem entre os pacientes, o que pode gerar uma angústia sobre o tratamento para alguém que, em virtude da profissão, sabe os riscos que a doença impõe.

Porém, para Graziela, este foi o momento de se aprofundar ainda mais sobre a covid-19 para tentar contribuir com o tratamento da própria mãe, sem deixar que os sentimentos de filha afetassem sua capacidade profissional de dialogar com a equipe do hospital.

Ainda conforme explicou a médica, o Hospital Unimed é um hospital pequeno, mas cujo corpo clínico está muito preparado e, mais do que isso, existe uma preocupação com o lado humano.

A equipe foi muito acolhedora a todo momento. É uma emoção indescritível tê-la conosco, em casa. Foi uma guerra de muitas batalhas, com muito choro, angústia e incertezas. Mas com todo o apoio e a competência da equipe do Hospital Unimed conseguimos vencer! Eu jamais saberei agradecer todos os envolvidos”, finalizou.

Márcia Castro disse pretender fazer do dia 12 de agosto,
dia da alta hospitalar, sua nova data de aniversário. / Foto: Divulgação