Geral Saúde

Oftalmologista recomenda cuidados com os olhos durante aulas virtuais

9 de julho de 2020

Foto: Divulgação

Passos – Devido à pandemia do novo coronavírus, muitas crianças e adolescentes estão passando mais tempo do que o recomendável em frente ao computador, já que as aulas, durante este período, estão ocorrendo de forma virtual. Este fato vem preocupando pais e responsáveis, que se questionam o quanto isso pode prejudicar a vista e causar malefícios.

Uma pesquisa do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) mostra que o número de crianças que usam óculos de grau dobrou nos últimos dez anos, passando de 10% para 20%. A tendência, no entanto, é que o número aumente, em razão do tempo extra que é passado, atualmente, em frente a dispositivos eletrônicos.

Erica Simas, jornalista e mãe de dois alunos, um de 20 anos e outro de 9, afirma que seus filhos passam cerca de seis horas em frente às telas. “Eles ficam três horas e meia por dia assistindo às aulas on-line, mas por conta dos trabalhos escolares, o tempo de tela aumentou, considerando as pesquisas e estudos que eles fazem. Além disso, o fato de estar em casa sem poder realizar atividades ao ar livre, acaba por aumentar as horas no videogame e celular. No fim, eles passam cerca de seis horas em frente ao computador, o que é um número muito maior do que o recomendado”, comentou.

A jornalista demonstra sua preocupação diante do aumento de tempo em frente ao computador e celular.

Meus filhos possuem erros de refração e, após as aulas on-line, houve muita queixa de dor de cabeça e olho seco, além de ter observado irritações oculares após longos períodos em frente à tela. Eu tento seguir as orientações de oftalmologistas sobre os ajustes necessários, mas penso que não seja o suficiente para evitar o aumento no grau, já que as crianças estão passando muito tempo no computador”, disse Erica.

O oftalmologista Wesley Menegate afirma que há consequências ao ficar muito tempo em frente às telas.

Hoje em dia, quando as pessoas ficam muito tempo conectadas no computador ou outro dispositivo eletrônico, há uma sobrecarga no sistema de acomodação visual. Ou seja, ao tentar manter o foco na tela por muito tempo, é gerado um certo cansaço e fadiga visual. Além disso, as pessoas piscam menos os olhos, o que faz com que haja mais irritação nos olhos e eles fiquem vermelhos, caindo a qualidade visual. A luz azul dos dispositivos também pode trazer malefícios aos olhos”, declarou Menegate.

Contudo, com a necessidade de assistir às aulas e passar mais tempo em frente ao computador, Wesley aconselha algumas atitudes para evitar os malefícios.

Um exercício é olhar para o horizonte, de vez em quando, durante as atividades, sem fixar em nada por alguns segundo e voltar. Ao fazer isso várias vezes ao dia, a pessoa relaxa o mecanismo de acomodação visual e melhora a fadiga no fim do dia. Além disso, piscar bastante os olhos, usar colírios lubrificantes e, nos intervalos, se possível, manter-se desconectado das telas, para que neste período haja descanso”, recomendou o oftalmologista.