Destaques Saúde

Municípios farão decreto unificado para conter alta em casos e ocupação de leitos

9 de janeiro de 2021

Decisão foi entendida durante encontro da Ameg, na tarde de sexta-feira, 8. / Foto: Beatriz Silva

PASSOS — Prefeitos de cidades que integram a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) decidiram, na tarde de ontem, 8, pela execução de um novo decreto coletivo, previsto para ser divulgado na próxima terça-feira, 12, o qual deve ser mais rígido em relação às medidas para conter a propagação do novo coronavírus.


Você também pode gostar de:

Nos três primeiros dias do ano, 17 pessoas morrem afogadas em MG

A taxa de ocupação chegou, nesta sexta-feira, a 60% na Enfermaria Covid e a 70% na UTI Covid da Santa Casa de Passos.
A decisão, tomada durante encontro realizado na sede da associação, em território passense, decorre do aumento constante das notificações de pessoas contaminadas pela covid-19, e a alta na taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva Coronariana (UTI-Covid) do hospital Santa Casa de Misericórdia de Passos, que passou de 47%, na última terça-feira, 05, para 75% na sexta-feira, 08.

Durante o encontro para tratar da situação da doença em âmbito regional, José Ronaldo Alves, diretor da Santa Casa de Misericórdia de Passos, disse sobre a importância de impedir a maior propagação do vírus.

É importante definir estratégias para cuidar da sociedade. Neste sentido, temos três vertentes a serem seguidas, definir táticas para evitar que o vírus circule ainda mais, avaliar esquemas para a chegada da vacina e a possibilidade de aumento de leitos para a região. Muitas vezes, o representante político deve tomar decisões que, neste caso, mesmo distante do agrado da maioria, são necessárias para a manutenção da vida. A adoção de medidas mais restritivas pode colaborar para o retardamento da ocupação total dos leitos disponíveis, dez dias de fechamento do comércio, por exemplo, já diminuiria o total de pessoas circulando e, consequentemente, a propagação do vírus”, considerou.

De maneira semelhante, a infectologista Priscila Freitas das Neves Gonçalves alertou para a alta de infecções pela covid-19.

A situação é mais grave do que muitos imaginam, é necessário orientar e chamar atenção da sociedade para o que estamos vivendo, que é o reflexo das aglomerações das festas de fim de ano. Também é necessário lembrar que a reinfecção tem um percentual pequeno, mas existe, e, como profissional de saúde, tenho que lembrar como será triste caso não tenhamos estrutura suficiente para atender a todos e, assim, termos que decidir quem continuará vivendo”, completou.

Do mesmo modo, o chefe do poder executivo de Passos, Diego Rodrigo de Oliveira, falou sobre a fundamentalidade de um planejamento uniforme.

Cada localidade possui suas particularidades, no entanto, o vírus ultrapassa as barreiras geográficas e precisamos criar uma espécie de cinturão de contenção, pois as pessoas acabam migrando de uma localidade para outra”, disse.

Antes da reunião, tínhamos uma outra perspectiva a respeito de como está a situação da pandemia na nossa região, mas, ouvindo o diretor técnico da Santa Casa, e sabendo sobre os riscos para ocupação total dos leitos, é inevitável que tomemos medidas mais rigorosas, seja em relação a horário ou distanciamento de pessoas nos comércios, etc”, avaliou Paulo Sérgio Leandro de Oliveira, o Serginho, prefeito de São José da Barra.


Prefeitura realiza reunião com a Acialp sobre a pandemia

ALPINÓPOLIS – Na manhã de ontem a Prefeitura de Alpinópolis se reuniu com a presidência da Associação Comercial e Industrial de Alpinópolis (Acialp), assim como representantes de diversos segmentos do comércio local, para tratar das questões relativas ao avanço da covid-19 na cidade. O encontro aconteceu no salão de festas do Lar Escola Santo Antônio, por ser um espaço amplo, arejado e que permite um adequado distanciamento social.

Na ocasião foi manifestada a intenção, por parte da prefeitura, de não fechar a cidade. A administração será parceira do comerciante, porém é preciso que cada um, dentro de seu raio de ação, colabore para que as normas sanitárias sejam seguidas adequadamente dentro dos estabelecimentos. Assim, não será necessário tomar medidas drásticas.

A publicação de um novo decreto estava programada para acontecer ainda ontem, logo após a reunião com a Acialp. Porém, a Associação dos Municípios do Médio Rio Grande (Ameg) convocou uma reunião com todos os prefeitos da região para tratar do tema para ontem à tarde. A intenção, segundo a administração, é buscar um alinhamento dos gestores municipais que possa permitir que sejam adotadas medidas padronizadas para a confecção dos respectivos decretos.