Destaques Saúde

Mudanças na alimentação melhoram imunidade

30 de outubro de 2020

Ao estar com as defesas do sistema em dia, a pessoa estará "mais protegida”. / Foto: Divulgação

De acordo com a nutricionista Mara Soares Rodrigues, uma alimentação pobre em vitaminas, minerais, fibras e proteínas tende a baixar a imunidade, desenvolver grave deficiência nutricional e ocasionar doenças crônicas como obesidade, diabetes e hipertensão, enfermidades que estão no grupo de risco em caso de infecção pelo novo coronavírus.

Segundo Mara, outro fator que pode apresentar riscos é a escolha por alimentos instrializados. “Eles duram mais tempo na despensa, mas favorecem a várias patologias, um dos fatores de risco à covid-19. O problema é que a opção por esses itens, que tendem a ser mais calóricos e menos nutritivos que comidas frescas, e pode, no médio prazo, acabar deixando seus consumidores mais vulneráveis a adoecer gravemente pela covid-19”, declarou.

Para Vitória Rocha, estudante, 22 anos, a pandemia teve grande influência em sua alimentação, já que, no início, decidiu que prestaria mais atenção na nutrição e aderiu ao veganismo.

Alimentos como leite, ovo, queijo e carne, eu parei de consumir e aderi ao veganismo. De lá para cá, eu venho notando grandes mudanças na minha pele, quase não tem espinhas, além das crises de rinite, que eu tinha com frequência, e hoje não tenho mais”, comentou.

A estudante disse que substitui alguns itens no cardápio e que já sente as mudanças. “Vejo como minha alimentação mudou e como isso influenciou meu corpo, apesar de não ter sido o objetivo principal. Minha alimentação é muito mais proteica e eu me preocupo muito mais, vejo como tudo isso contribuiu para minha saúde”, disse.


Dicas

De acordo com a nutricionista Mara Soares Rodrigues, alguns alimentos podem melhorar a imunidade. “Gengibre, própolis, cardamomo, alecrim, orégano e cúrcuma, pois têm efeito anti-inflamatório natural, e devem ser incluídos nas receitas do dia a dia, inclusive em sucos de frutas ricas em vitaminas C, como a laranja, limão, abacaxi, kiwi e acerola, e também as frutas vermelhas e roxas, pois são ricas em flavonoides, ajudam no combate aos radicais livres, prevenindo o envelhecimento celular. O alho e cebola têm ação antiviral e, quanto mais cru, maior o efeito imunomodular desses alimentos”, informa.

Beber Kefir, que possui ação probiótica, proporcionada por micro-organismos ‘do bem’ que, dentre outros efeitos, auxiliam na flora intestinal e combatem alergias; comer alimentos com ômega 3, como sementes, folhas escuras, azeite, peixes e leguminosas que são ricos dessa gordura ‘do bem’; além de outras gorduras boas como abacate, chia, linhaça, peixe e coco e alimentos prebióticos como taioba, chicória, batatas, banana, aveia e farinha de banana-verde, pois são bons para o intestino”, disse.

Além da alimentação, afirma Mara, também é importante manter hábitos saudáveis, como dormir bem e praticar atividade física, para melhorar as defesas do organismo.