Destaques Saúde

Ministério da Saúde autoriza realização de LIRAa em Passos

15 de outubro de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – Após o Ministério da Saúde anunciar a suspensão do Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti  (LIRAa) de outubro em decorrência da pandemia de covid-19, o órgão emitiu, nesta quarta-feira, 14, uma norma técnica que autoriza a realização do estudo no município de Passos, assim como em demais localidades onde foram considerados estáveis os números de infectados pelo novo coronavírus.

O diretor de Saúde Coletiva do município, Thiago Agnelo, disse que, devido à autorização ser recente, ainda não foi possível definir uma data para que o estudo ocorra, no entanto, o mesmo deve acontecer até o fim deste mês.
O LIRAa foi desenvolvido pelo Ministério da Saúde em 2002. O levantamento, realizado três vezes ao ano, permite a identificação de áreas com maior proporção ou ocorrência de focos do mosquito Aedes aegypti, bem como dos criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de dengue, chikungunya, febre amarela e zika vírus. O exame é realizada por meio de visita a um determinado número de imóveis, onde ocorre a coleta de larvas para definir o chamado Índice de Infestação Predial (IIP).

Caso seja registra uma casa infestada por larvas ou mosquitos Aedes para cada 100 avaliadas, o IIP é considerado satisfatório, já quando são registradas de uma a três casas para cada 100 pesquisadas, a cidade passa a situação de alerta, e, por último, se o resultado de residências infestadas a cada 100 pesquisadas for de quatro ou mais, há risco de surto no município de doenças transmitidas pelo mosquito. De acordo com Agnelo, em Passos, o LIRAa é efetuado em até cinco dias e conta com a participação de quase 104 agentes.

É uma pesquisa larvária, são recolhidas amostras e, no próprio município, realizamos os estudos necessários para identificarmos se são larvas do Aedes ou não. Muitos agentes estão envolvidos, seja para coleta, pesquisa, analise ou supervisão”, explicou.

Quanto ao total de imóveis a serem averiguados, o número também não está definido. “A quantidade de quarteirões a serem visitados e o quantitativo de imóveis que faremos a vistoria são preestabelecidos para nós, em espécie de sorteio. Não temos os dados exatos para este mês, porém, no último levantamento, o total foi de 3.400 imóveis”, disse. Em relação à expectativa para o novo estudo, o diretor de Saúde Coletiva informou acreditar que os índices devem ser positivos.

Geralmente, a pesquisa de outubro é uma das mais tranquilas do ano, a época de pouca chuva acaba por garantir um índice menor de larvas, ao contrário dos resultados de janeiro, por exemplo, momento em que, o grande índice de chuva, acaba provocando resultados assustadores em todos os municípios”, disse.