Destaques Saúde

Minas vai vacinar crianças com Coronavac, diz Zema

24 de janeiro de 2022

Foto: Reprodução.

BELO HORIZONTE – O governador de Minas, Romeu Zema, confirmou, neste sábado, 22, que o estado vai vacinar crianças com os imunizantes Coronavac. A decisão só foi tomada depois que o Ministério da Saúde informou, na última sexta-feira, 21, que vai incorporar a vacina contra a covid-19 da Sinovac na campanha. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia autorizado, desde quinta-feira.

Pelas redes sociais, Zema informou que o estado tem 400 mil doses estocadas que serão utilizadas para vacinação do público de 6 a 17 anos. “A maior operação de vacinação da história de Minas segue avançando! Por favor, vacine”, escreveu.

Segundo informações do Estado de Minas, o secretário municipal de Saúde de Belo Horizonte, Jackson Machado, disse, na última sexta-feira, que pode haver vacinação infantil com a Coronavac se os imunizantes forem encaminhados pelo governo de Minas.

Em resposta à pergunta de um dos jornalistas sobre a falta de cronograma para o recebimento das doses pediátricas da Pfizer e a possibilidade do uso da CoronaVac, até então sem orientação do Ministério da Saúde, o secretário afirmou que ‘’se a gente tivesse Coronavac, haveria essa possibilidade. Mas nós não temos’’.

“Se eles nos mandarem, podemos vacinar’’, afirmou Jackson. A fala de Jackson veio antes de o Ministério da Saúde informar que vai incorporar a CoronaVac na campanha de vacinação de crianças.

O Ministério da Saúde só decidiu ontem incorporar a vacina contra a covid-19 CoronaVac na campanha de vacinação de crianças. A decisão foi comunicada pelo secretário-executivo da Saúde, Rodrigo Cruz, em conversa com jornalistas. Antes, a pasta chegou a procurar o Instituto Butantan, produtor da vacina no Brasil, para verificar quantas doses do imunizante estão disponíveis para entrega.

A pasta tem em estoque 6 milhões de unidades da CoronaVac, que já podem ser distribuídas aos estados para a vacinação infantil. No entanto, antes de enviá-las, o Ministério da Saúde pretende consultar as unidades da Federação.

Na  quinta-feira, a Coronavac foi aprovada pela Anvisa para ser aplicada em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. O estado de São Paulo vacinou a primeira criança no mesmo dia, horas depois do aval do órgão regulador, sem esperar o aval do governo federal.

O pequeno Caetano de Jesus Martins Moreira, de 9 anos, foi a primeira criança brasileira a receber o imunizante produzido pelo Instituto Butantan. “Inclusive, eu tomei a vacina da gripe recentemente. É só uma picada”, disse o garoto, em um evento simbólico realizado em uma escola estadual na capital paulista.