Destaques Saúde

Minas deve receber 600 mil doses de vacina e ampliar imunização de idosos

16 de abril de 2021

Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – O Governo de Minas deve receber nova remessa com cerca de 600 mil vacinas de AstraZeneca e Coronavac nos próximos dias e o medicamento deve ser usado, principalmente, para aplicação da primeira dose. Segundo informações do governo estadual, essa remessa deve permitir que 100% dos trabalhadores de Saúde e de idosos acima de 65 anos estejam imunizados em Minas, além de ampliar o público entre 60 e 65 anos no estado e profissionais das forças de Segurança Pública.

De acordo com o governo, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) está fazendo um diagnóstico junto às regionais de saúde para identificar municípios que ainda estão com doses em estoque e os que precisam de equipamentos, como geladeiras, para reforçar a vacinação.

A secretaria está fazendo de forma imediata a distribuição das primeiras doses, no dia seguinte à chegada. Quando são remessas de segunda dose, como tem muita segunda dose nos municípios ainda, a gente tem sido um pouco conservador para não ter risco de perder a vacina com uma entrega no final de semana”, afirma o secretário de Saúde, Fábio Baccheretti.

Para acelerar a vacinação em todo o território mineiro, nesta que é maior operação de imunização na história de Minas Gerais, o governador Romeu Zema ressaltou a importância das ações conjuntas com as prefeituras mineiras, principalmente por meio do diálogo estreito com a Associação Mineira dos Municípios (AMM) e a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel).

Quero fazer um agradecimento ao presidente da AMM, Julvan Lacerda, que tem se empenhado pessoalmente junto aos 853 municípios para que essas questões fluam com mais rapidez. E também um agradecimento à presidente da Granbel, Ilce Rocha. Marquei uma reunião com os dois para levarmos adiante esse diálogo entre Estado e Municípios”, disse o governador.

Como apoio à vacinação realizada pelas prefeituras, desde o fim do ano passado, o governo comprou 50 milhões de seringas distribuídas com antecedência às prefeituras, além de 700 refrigeradores enviados para diversas regiões do estado, antes da chegada da primeira remessa de vacinas, em janeiro.

Também colocamos todas as aeronaves do Estado à disposição para levar a vacina às prefeituras. No processo de vacinação, é fundamental que haja esse sincronismo, essa coordenação, esse trabalho conjunto entre os estados e os municípios”, afirma Zema.