Destaques Saúde

LIRAa aponta para risco de epidemia de dengue em 2021

Por Beatriz Silva / Redação

16 de janeiro de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS — O primeiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de 2021, realizado entre os dias 11 e 14 de janeiro pela equipe do Núcleo de Controle de Zoonoses de Passos), apontou que 5,% dos imóveis avaliados no município possuem focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela.

Conforme o diretor de Saúde Coletiva e coordenador do núcleo, Thiago Salum, o resultado do levantamento indica alto risco para epidemia de doenças transmissíveis pelo Aedes aegypti. Segundo ele, neste período, com chuvas frequentes e temperaturas mais elevadas, bem como o descuido de parte da população, há mais condições para que o inseto se prolifere.

Este é um momento sazonal propício para o desenvolvimento de qualquer mosquito, porém, além do período chuvoso, devido à pandemia de covid-19, notou-se um grande medo da população em referência a recepção de agentes em suas casas, o que também colaborou para o descuido com a limpeza e, consequentemente, contribuiu para este índice tão preocupante”, considerou Salum.

Participaram da pesquisa 61 agentes de Combate a Endemias (ACE), que vistoriaram 2.637 imóveis. Entre as amostras, o maior volume de larvas foi encontrado nos chamados depósitos “móveis”, passíveis de fácil remoção e eliminação, representados por vasos de plantas, frascos com água, pingadeiras, recipiente de degelo localizado atrás da geladeira, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, materiais de construção, objetos religiosos etc.

Entre os bairros que registraram os maiores índices de infestação estão Canjeranus, Carmelo Distrito Industrial I, Bela Vista, Bela Vista II, Jardim Colégio de Passos, Recanto do Bosque, Residencial Világio D’Itália, Mirante do Vale, Monte Belo, Parque Alvorada, Condomínio das Nações, Condomínio Vale Verde, Vila Rica, Novo Mundo III, Casarão, Residencial Novo Mundo e Condomínio Park Club.

Em relação ao percentual elevado do índice de infestação predial (IPP), o núcleo de Controle de Zoonoses e a Prefeitura de Passos vão tomar algumas medidas, tal como a organização de mais mutirões de limpeza e inspeção; a contratação de novos agentes para suprir o deficit municipal, comprar um larvicida auxiliar para ajudar no combate à dengue, elaborar um projeto para recolhimento de materiais inservíveis, regulamentar uma lei que autuará e multará aqueles que deixam os ambientes propícios para criadouros do mosquito Aedes aegypti e animais peçonhentos. A previsão é aumentar o número de visitações domiciliares durante o ano.

Sabemos que o município sofre com um histórico de epidemias de Aedes. Volto a dizer que o resultado para o primeiro LIRAa é preocupante e, por este motivo, é fundamental que trabalhemos em conjunto para diminuirmos o índice atual, assim como os riscos de epidemia, os quais, geralmente, ocorrem a cada dois ou três anos”, encerrou Thiago Salum.


LIRAa 2020

Devido à pandemia de covid-19, apenas duas pesquisas referentes ao LIRAa foram realizadas em 2019. A primeira, registrada em janeiro, resultou em um índice de infestação predial de 4,2%, ao passo que a segunda, ocorrida em outubro, chegou a 0,6%. Sobre a diferença entre os resultados de 2020 e 2021, Thiago Salum atribuiu a dessemelhança e o baixo índice de infestação ao período mais seco do ano passado.