Destaques Saúde

Índice de doadores de medula óssea cai 42% em Passos em 2020

17 de outubro de 2020

Entre janeiro e agosto deste ano, 347 pessoas se voluntariaram. / Foto: Divulgação

PASSOS – O índice de novos cadastros no Registro de Doadores de Medula Óssea (Redome) diminuiu 42% em Passos. De acordo com dados fornecidos pela Fundação Hemominas, entre janeiro e agosto deste ano, 347 pessoas se voluntariaram na cidade, enquanto no mesmo período de ano passado, o número chegou a 599. De janeiro a dezembro de 2019, foram cadastradas 899 pessoas. A queda também foi expressiva no Estadual (-45,41%) e no país (-30%). De acordo com João Eduardo dos Santos Pereira, enfermeiro na sede passense do Hemominas, o cadastro é de extrema importância para a saúde da população, visto que a compatibilidade entre doadores e receptores é muito rara – um caso a cada 100 mil. O profissional ainda explica que, quanto maior for o número de registros no sistema, maiores as chances de salvar a vida de quem sofre com doenças que afetam as células sanguíneas, como leucemia, linfomas e determinados tipos de anemia.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a quantidade de cadastros diminuiu de maneira significativa. Para pertencer ao banco de dados, basta ter o registro vinculado a uma amostra de 5 ml da medula óssea, e a doação mesma só ocorre quando encontramos pessoas compatíveis. Nestes casos, o voluntário é encaminhado aos centros habilitados para colher o material, que passa por novas análises antes de chegar a quem precisa”, explicou Pereira.

Para incentivar novos voluntários, o Ministério da Saúde, por meio do Instituto Nacional de Câncer (Inca), divulgou uma nota informando que os procedimentos não foram interrompidos devido ao surgimento da covid-19. No entanto, todo o trabalho é realizado seguindo as normas de segurança da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O órgão também esclarece que, como reflexo da queda na quantidade de novos cadastros, o índice de transplantes também sofreu redução de 40% em todo o país.

Os interessados em pertencer ao cadastro do Redome devem ter de 18 a 55 anos, contar com boas condições de saúde e agendar um horário para apresentar a documentação necessária no núcleo do Hemominas – o processo é realizado somente uma vez. No dia do registro, a amostra é colhida e enviada para o setor responsável pelos exames laboratoriais e, então, basta aguardar pela solicitação de transplante.