Destaques Saúde

Hospital de campanha no Otto deve ficar pronto até 25 de abril

14 de abril de 2020

PASSOS – A reforma da unidade onde funcionava o Hospital Otto Krakauer, iniciada em 31 de março, deve ficar pronta entre 20 e 25 de abril, conforme previsão da equipe de profissionais responsável pela obra. No local, está sendo instalado um hospital de campanha para atender prováveis vítimas de covid-19. A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) da Comarca de Passos apoia a reforma que está sendo feita por 15
recuperandos.

De acordo com o vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB MG) – Subseção Passos, Renato Reis, o novo hospital terá 70 leitos para receber pacientes de Passos e região. O hospital de campanha a ser instalado no Otto Krakauer já foi cadastrado, possuindo numeração – CNES – junto ao Ministério da Saúde e Secretaria de Atenção à Saúde, sendo lá denominado Hospital de Campanha Covid-19 – Passos/MG.

A obra está sendo realizada em parceria com o Poder Judiciário de Minas, o Ministério Público de Minas Gerais (MP MG), o Presídio de Passos, a Prefeitura Municipal de Passos e a OAB. A equipe de engenharia consiste em quatro profissionais capitaneados pelo engenheiro Ubiratan Bernardes.

“As intervenções são na alvenaria e pintura, além de revisão de toda a parte elétrica e hidrossanitária, e está sendo realizada com recursos destinados pela Justiça do Trabalho e Ministério Público do Trabalho, com a mão de obra de recuperandos da Apac, autorizado pela Justiça Estadual e Ministério Público Estadual. A coordenação e execução da obra foram disponibilizadas gratuitamente pela Construtora Engetop”, disse Reis.

Conforme o encarregado administrativo da Apac, Divino Barbosa Soares, a associação toda se sente feliz em poder contribuir com toda a sociedade neste momento tão delicado. “Estamos juntos”, disse.

Materiais médicos necessários para o início imediato dos trabalhos estão sendo adquiridos com recursos destinados pela Justiça Estadual. A cooperativa de serviços médicos Unimed realizou o levantamento dos equipamentos e materiais necessários para o hospital de campanha, e a Superintendência Regional de Saúde, tendo conhecimento dos esforços locais, contemplou o hospital de campanha de Passos no Plano de Contingência Operativo Covid-19 da Macrorregião Sul.

Naquele local não haverá atendimento ao público, sendo, como dito, um hospital de apoio, onde ocorrerá, a princípio, acompanhamento médico às questões de baixa e média complexidade, devendo a população ficar ciente de que a porta de entrada para atendimento junto aos órgãos de saúde será sempre a UPA-Passos, a qual fará o devido encaminhamento.

O secretário Municipal de Saúde, Antônio Donizetti, salientou a importância da parceria e do compromisso com a cidade. “É um momento único. O que vale é o senso de urgência em relação às pessoas que precisarão desses leitos e Passos passará mais forte por essa pandemia”, concluiu.

 

Demandas terão verbas específicas

 

PASSOS – Na semana passada foi realizada uma reunião na Prefeitura de Passos, onde foram repassadas ao Gabinete de Gestão da Crise algumas demandas urgentes a respeito da compra de materiais médico-hospitalares faltantes para o início das atividades no local.

Sendo assim, foi elaborado ofício e encaminhado pela Prefeitura à Justiça Estadual, que após manifestação positiva do Ministério Público Estadual, autorizou e destinou verba para a aquisição dos materiais elencados, o que propiciará, após o término das obras, iniciar a etapa de instalação efetiva do Hospital de Campanha Covid-19 – Passos/MG.

O Promotor Éder Capute, curador da saúde, destacou que a principal e mais importante estratégia de combate é a prevenção, principalmente focada no isolamento social. “A instalação do hospital de campanha é apenas uma forma de amenizar as consequências de um possível avanço da doença na cidade, não sendo garantia de atendimento à integralidade dos doentes. O combate depende muito mais da atitude das pessoas, já que qualquer estrutura montada será sempre insuficiente dada a gravidade e poder de proliferação da doença”, disse.

Para o juiz Federal Bruno Augusto, integrar ao máximo os três Poderes, visando à celeridade e viabilização das medidas emergenciais, à luz da Constituição. Essa é uma das principais diretrizes apontadas pelo Centro de Estudos Estratégicos do Exército Brasileiro em seus estudos sobre os caminhos possíveis para enfrentar essa crise.

“A criação do primeiro hospital de campanha de Minas Gerais focado para a pandemia é apenas um dos muitos frutos da união dos três poderes e sociedade civil de Passos. Falando em nome do Judiciário, posso afirmar que nada mais fazemos do que cumprir um dever ético dos juízes, que muitos ainda desconhecem, mas que é bem claro nas normas de ética judicial: o comportamento e conduta de um juiz deve reafirmar, sempre, a fé do povo na integridade do Judiciário. Justiça não deve simplesmente ser feita, é preciso demonstrar que está sendo feita”, afirmou o juiz.

O Judiciário Estadual, Federal e do Trabalho de Passos, ombreados com o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil, darão seu melhor para estar à altura dos eventos. O povo passense pode contar com seus juízes, promotores e advogados, afirma Renato Reis, vice-presidente da OAB/MG – Subseção Passos.