Destaques Saúde

Fazer exercícios físicos em casa requer cuidados

Por Nathália Araújo / Redação

29 de junho de 2020

Pesquisa revela a importância da modalidade durante a pandemia de coronavírus. / Foto: Divulgação

PASSOS – Fazer atividades físicas em casa pode ser uma boa alternativa durante as medidas de isolamento social impostas pela pandemia do novo coronavírus, mas é aconselhável ter supervisão de um profissional e o usar equipamentos adequados.

Para o professor de educação física Peterson Medeiros, os exercícios em casa podem contribuir para a saúde, mas é preciso tomar alguns cuidados.

Antes de qualquer atividade, as pessoas têm que ter em mente que elas devem sempre procurar uma boa orientação profissional para evitar problemas futuros, como lesões e problemas lombares, devida a má postura durante os treinos, porém, muitas atividades podem ser realizadas em casa, sempre moderadamente, e vão contribuir para trazer saúde corporal e mental também”, diz Medeiros.

Segundo ele, algumas dicas são importantes tanto para quem não pratica atividades físicas como para as pessoas que já fazem, regularmente, exercícios.

Uma atividade que pode ser feita em casa é uma caminhada no quintal. Dez minutos, mesmo se ele for pequeno, já ajuda muito e faz com que seu corpo se exercite. Outra opção é sentar e levantar da cadeira repetidamente. Além disso, pegar uma garrafinha de água e fazer movimentos de elevação já é super válido. Há também a possibilidade de uma caminhada na rua, devidamente protegido, dando a volta no quarteirão, já ajuda muito” explicou Medeiros.

Gustavo Souza, que também é profissional de educação física, afirma que a prática de exercícios é importante não só para o corpo, mas também para a saúde mental durante o período de pandemia.

Atividade física é de extrema importância porque ajuda a manter uma rotina, que capacita seu corpo e mente para sair saudável desse período. Não adianta muito fazer o exercício corretamente, sendo que a mente não está legal. E a sugestão é realizar as atividades de manhã por causa da endorfina e da liberação de outros hormônios, que deixam o dia mais animado”, disse.

De acordo com Souza, as pessoas devem levar em conta as limitações.

Sobre treino em casa, a questão é que cada ser humano tem sua individualidade biológica. Não existe ‘receita de bolo’. O ideal é que cada um trabalhe dentro da sua individualidade e, principalmente, não tentar copiar exercícios complexos, no caso de quem tem experiência em realizá-los. Ter consciência corporal é muito importante. O intuito de fazer exercícios durante a pandemia seria mais para uma manutenção”, afirma.

Para ele, o ideal é que as pessoas alternem exercícios.

Uma sugestão é procurar fazer cada dia uma atividade diferente. Um dia com caminhadas e corridas, outro com exercícios funcionais. É legal lembrar dos dias de descanso também. A minha sugestão é o alongamento, porque além de ser benéfico para o corpo, ele levanta o ânimo, melhora a flexibilidade, melhora a postura e aquece os músculos”, diz.

Estudante recomenda treinos mais leves

PASSOS – Adepta de treinos há mais de sete anos, a estudante Maria Alice Silva afirma que a prática de exercícios físicos em casa requer uma rotina diferenciada.

Eu já tenho experiência em execução e cuidados com a maioria dos exercícios. Mas quando se trata de um treino realizado em casa, não é recomendado aplicar a mesma intensidade do que estando em um ambiente adequado e com profissionais acompanhando. O que funciona para mim é realizar exercícios de fácil execução e baixa intensidade, como por exemplo, corda, abdominais, polichinelo, dança e demais exercícios aeróbicos, e isso funciona muito bem para mim, que tenho propensão a dores na lombar, caso faça exercícios de força de forma errada. Mas, não funcionaria tão bem para quem tem problema no joelho, por exemplo. Para quem nunca realizou nenhum tipo de treino, sugiro começar com atividades mais leves possíveis”, disse Maria Alice.

Para quem pretende executar atividades intensas, a estudante recomenda o acompanhamento de um profissional.

Procurar um profissional para auxiliar é o que eu recomendo. Neste período, muitos deles optam pelo atendimento online, por exemplo, para que a atividade seja realizada de forma mais segura possível”, disse.