Destaques Saúde

Ex-delegado da Polícia Civil morre de covid-19 em Passos

Por Adriana Dias / Da Redação

9 de fevereiro de 2021

Foto: Divulgação

S.S. DO PARAÍSO – O ex-delegado da Polícia Civil de Minas Gerais Régis Antônio Reis Ferreira, que prestou grandes serviços à comunidade de São Sebastião do Paraíso durante os seus anos de trabalho, faleceu nesta segunda-feira, 8, por complicações causadas pela covid-19. Ele estava internado na Santa Casa de Passos desde dezembro. A Prefeitura de Paraíso divulgou uma nota de pesar e se solidarizou com familiares e amigos do ex-policial. O paraisense atuou também como delegado em Passos.


Você também pode gostar de:

Câmara de Passos espera Refis para receber atrasados

O sepultamento foi realizado às 10h30, no Cemitério da Saudade, em São Sebastião do Paraíso. O delegado deixa a esposa Shirley Kirchner Ferreira, o filho Gustavo Kirchner, duas filhas, Gisele e Fabiula. Um dos filhos dele, Frederico, já é falecido. Gustavo, por vários dias fez pedido de doação de sangue para o pai que estava internado na Santa Casa de Passos. No dia 4 de janeiro, Gustavo fez até um apelo nas redes sociais por conta de uma fake news que noticiava a morte do delegado.

O também ex-delegado Rodney Malveira se manifestou, em suas redes sociais, o pesar pela morte do colega de profissão.

Dr. Regis foi delegado Regional de Polícia Civil em Passos por cerca de 15 anos, foi também superintendente Geral da Polícia Civil de Minas Gerais e secretário adjunto de Segurança Púbica em Belo Horizonte. Como policiais, sempre nos tratamos com muito respeito e admiração. Como amigos, só tenho a agradecer, ele me ajudou demais. Muito grato Regis, siga em paz”, afirmou o amigo.

O delegado Régis foi homenageado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG – na comarca de Itamogi em 2015. Ele foi distinguido com a Medalha Desembargador Hélio Costa, instituída em 1995 pela Corte Superior do Egrégio Tribunal de Justiça de Minas Gerais, “destinada a agraciar aqueles que venham prestando ou tenha prestado relevantes serviços ao Poder Judiciário local e que hajam por merecer especial distinção”.

Régis Ferreira ingressou na Polícia Civil em 1963 como escrivão “Ad hoc” quando estava com apenas dezessete anos de idade. Bacharel em Direito, foi aprovado posteriormente pela Academia de Polícia Civil como delegado de polícia. Exerceu a função policial por cinquenta anos. Foi escrivão, tendo exercido o cargo de secretário Adjunto de Segurança Pública do Estado de Minas Gerais.

O ex-delegado Régis Antônio Reis Ferreira esteve internado na Santa Casa de Passos desde o mês de dezembro por complicações da covid-19. / Foto: Divulgação