Destaques Saúde

Estratégias garantem refeições nutritivas, apesar da crise

23 de fevereiro de 2021

A nutricionista Mara Soares Rodrigues dá dicas de pratos saudáveis com alimentos da estação. / Foto: Divulgação

A alta nos preços dos alimentos deve se manter até março, segundo previsões dos pesquisadores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), ainda que de forma mais sutil do que em relação à 2020. Dados de inflação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) demonstram que, no ano passado, o preço dos alimentos nos supermercados subiu 16%, no período de janeiro a novembro, sendo que alguns alimentos básicos, como o arroz e o feijão tiveram uma alta capaz de assustar qualquer dona de casa, de 70% e 40%, respectivamente, durante este período.

Embora já se note uma desaceleração, o brasileiro ainda está sentindo no bolso a dificuldade de fazer as compras no supermercado. No início deste ano, além de certa instabilidade econômica causada pela pandemia do novo coronavírus, as influências da safra e do clima afetam, principalmente, os preços dos alimentos in natura, como hortaliças e legumes.

Para a nutricionista Mara Soares Rodrigues, profissional da Unimed Sudoeste de Minas, uma das estratégias mais interessantes para manter uma alimentação nutritiva em tempos de alta no preço dos alimentos é aproveitar os vegetais e frutas de época. Agora em fevereiro podemos citar o abacate, ameixa, carambola, coco verde, figo, fruta do conde, goiaba, jaca, maçã, pera, pêssego, seriguela e uva; também a escarola, hortelã, repolho e ainda a abóbora, gengibre, milho verde, pepino, pimentão, quiabo e tomate.

Outra dica importante é se organizar e planejar as compras antes de ir ao supermercado.

Monte um cardápio do que vai preparar e comer durante a semana, desta forma evita-se comprar alimentos que não estão no planejamento. Com o cardápio bem planejado, você pode separar porções para os dias, sem excesso de preparo e excesso de consumo. Evite comprar guloseimas, bolachas, biscoitos e chocolates. Opte por preparar em casa biscoitos de aveia ou de banana, bolos frescos e pães. Isso ajuda no consumo consciente”, sugere a nutricionista.

Para quem enfrenta a correria durante a semana e falta de tempo para fazer as refeições, uma sugestão é a conservação dos alimentos congelados ou o uso da técnica de branqueamento. Use um período do final de semana para planejar e preparar o cardápio dos dias úteis o que, além de contribuir com o planejamento financeiro, também garante que estará fazendo as escolhas mais saudáveis para o cardápio, que deve ser adaptado à rotina corrida de quem está sempre se deslocando de um lugar para outro.

Avalie o tempo de durabilidade dos alimentos e crie estratégias para que eles durem mais. Alimentos como farinha, leite, sal, açúcar, óleo e alguns enlatados duram mais e são estocáveis. Compre carne, frango e peixe em porções, para usar gradualmente e congelar o restante. Use a técnica de ‘braqueamento’ para aumentar a durabilidade de alimentos como legumes e verduras: coloque em água quente por alguns minutos e depois em água gelada; isso vai criar uma camada protetora nestes alimentos, sem perda de seus nutrientes. Compre frutas mais maduras para o uso nos próximos três ou quatro dias e frutas mais verdes para consumir a médio e longo prazo. Aquelas que você sabe que não vai consumir num primeiro momento, congele em pedaços ou batido no liquidificador com pouca água”, ensina Mara Soares.