Destaques Saúde

Empresários demonstram preocupação com medidas do Minas Consciente

8 de agosto de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – Todos os municípios da região que aderiram ao programa Minas Consciente estão na onda amarela, que permite o funcionamento de serviços considerados não essenciais com baixo risco de contágio da covid-19. De acordo com as regras estabelecidas pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), neste estágio não é permitida a abertura de alguns estabelecimentos como academias, clubes, cinemas e estúdios de piercing e tatuagem.

Das 26 cidades que estão divididas entre as microrregiões de Cássia/Passos, Piumhi e São Sebastião do Paraíso, apenas cinco não participam do programa: Claraval, Itaú de Minas, Monte Santo de Minas, Pratápolis e São Tomás de Aquino. De qualquer forma, as orientações para segurança em saúde devem ser seguidas por todas as pessoas que frequentam os estabelecimentos comerciais em funcionamento.

Wellington Dias, proprietário de um estúdio de tatuagens e aplicação de piercings, está preocupado com o futuro dos negócios e defende que a determinação é injusta para com as empresas do setor.

Se acontecer como foi em março, não sei o que vou fazer, porque não recebo desconto no aluguel do cômodo e as contas chegam; precisei até demitir minha funcionária por conta da pandemia. Acho que essa decisão é muito questionável, os bares e lojas reúnem muitas pessoas e vão continuar abertos, enquanto eu, que atendo um cliente por vez, serei obrigado a ficar de portas fechadas”, pontuou.

O empresário Marcelo Henrique de Amorim Abreu, sócio-proprietário de duas academias da cidade, revela que também não está de acordo com o que foi divulgado, pois acredita que a principal estratégia para conter a disseminação do coronavírus é conscientizar a comunidade.

Entendo que o momento requer muito cuidado e por isso seguimos todas as medidas de segurança, nossos alunos treinam de máscara e temos um espaço de 30 m² para cada um. Se vão fechar os estabelecimentos, que isso seja imposto para todos, mas, além disso, as pessoas devem compreender a gravidade desta doença e seguir as regras para que as coisas voltem ao normal”, disse o gestor.

Representando outra empresa desse setor, o gerente Matheus Freitas Ferreira destaca que está preocupado com a saúde da população, mas que o fechamento das academias pode gerar grandes prejuízos.

São tempos de vacas magras, infelizmente. A saúde deve vir em primeiro lugar, estou acompanhando os boletins e vejo que ainda temos uma folga em relação ao contágio pela covid-19, mas, se a determinação veio do governo, o que podemos fazer? É claro que não queremos ver nenhum aluno infectado, mas a economia realmente fica em uma situação bem preocupante”, afirmou.

As orientações relacionadas a esta etapa do programa Minas Consciente começam a valer neste sábado, 8, e devem vigorar até o dia 14 deste mês. Para que os municípios avancem para a onda verde, que permite a prática de atividades comerciais com alto risco de contaminação, o índice de contágio deve permanecer estável por 28 dias consecutivos.