Destaques Saúde

Em 10 dias, região tem 88 mortes e 2.456 novos casos de covid-19

Por Gabriella Alux / Especial

24 de Maio de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS – Municípios da região registraram 88 mortes por covid-19 e 2.456 novos casos da doença nos últimos dez dias. Passos, com 748 pessoas infectadas e 32 óbitos no período, é a cidade com o maior número de ocorrências. Na última semana, foram 59 óbitos e 1.950 pessoas infectadas em 16 cidades.

De acordo com boletins epidemiológicos divulgados por prefeituras, São Sebastião do Paraíso é a segunda cidade com mais registros, sendo 17 óbitos e 294 novos casos de covid-19. Na semana passada, prefeituras de cidades da região adotaram medidas mais restritivas, como limite de horário para funcionamento do comércio e dos serviços e toque de recolher, bem como blitze educativas e de fiscalização.

Capitólio e Cássia registraram seis mortes em decorrência da covid, cada, nos últimos dez dias e são seguidos por Guapé (quatro) e Itamogi, São João Batista do Glória e São Roque de Minas, com três mortes cada, no ranking de óbitos da doença no período. Delfinópolis, Doresópolis, Fortaleza de Minas, Ibiraci, Jacuí, Pimenta, São José da Barra e São Tomás de Aquino não tiveram mortes pela doença nos últimos dez dias.

As cidades que mais registraram casos de infectados pelo coronavírus entre os dias 11 e 21 deste mês na região, além de Passos e Paraíso, foram Piumhi (244), São Roque de Minas (118), Itamogi (113), Monte Santo de Minas (111), Itaú de Minas (109) e Carmo do Rio Claro (101). Considerando os dados, Doresópolis, São Tomás de Aquino e Vargem Bonita são as cidades com menos registros de novas infecções pelo coronavírus na região.


Variante P1 de Manaus

Além da variante P1 detectada em Piumhi, reportado pela Folha na última quarta-feira, 19, Monte Santo de Minas, Guaxupé, Arceburgo, Guaranésia, Cabo Verde e Alterosa apresentam casos da variante de Manaus, segundo informações divulgadas pelas prefeituras.

A cidade de Guaxupé teve a notificação de dois casos confirmados da variante P1, em que os pacientes foram testados em março e ambos vieram a óbito. Em Cabo Verde e Guaranésia, a variante foi detectada em um caso, em cada uma das cidades, de abril deste ano, sendo que o paciente cumpriu o isolamento na época e já está recuperado.

De acordo com comunicados feitos pelas prefeituras de cada município, a confirmação da presença da P1 exige ainda mais a colaboração de todos, pois a variante está associada a uma maior taxa de transmissão, pois ela é dez vezes maior que outras cepas e de maior letalidade.