Destaques Saúde

Delfinópolis permanece na Onda Amarela

Por Talita Souza / Redação

26 de dezembro de 2020

Delfinópolis tem, até o momento, 47 casos de covid-19 confirmados, sendo 37 recuperados, 9 ativos e um óbito. / Foto: Divulgação

DELFINÓPOLIS – A Prefeitura de Delfinópolis publicou, na noite do último da última quarta-feira, 23, um decreto sobre a decisão de manter o município na Onda Amarela do programa Minas Consciente. Delfinópolis tem, até o momento, 47 casos de covid-19 confirmados, sendo 37 recuperados, 9 ativos e um óbito.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Novos protocolos
  • Passos sai do Minas Consciente

De acordo com o decreto, a decisão foi tomada devido ao número de casos de covid-19 confirmados na cidade no mês de dezembro. A decisão de deixar o município na Onda Amarela está mantida até o próximo dia 28, deixando Delfinópolis com atividades restritas para as festividades de final de ano.

Ainda de acordo com o decreto, o município poderá regredir, a qualquer momento, para a Onda Vermelha, caso os indicadores de avaliação epidemiológica continuem a aumentar. Festas e eventos comerciais estão proibidos pelo prazo de quinze dias, devendo a Polícia Militar e a Vigilância Sanitária interditar o local imediatamente. O funcionamento de bares e restaurantes está liberado, desde que sigam as regras disponibilizadas no novo protocolo do Minas Consciente.

Para a secretária municipal de saúde, Elisa Campos Pinto, as medidas restritivas são necessárias para o controle da contaminação da população.

No mês de dezembro, nosso município chegou num pico epidemiológico que ainda não tínhamos registrado durante toda a pandemia e é algo que nos preocupa, visto que há as festividades de fim de ano. As famílias se reúnem, pois muitas já ficaram por muito tempo longe de seus entes queridos que moram em outras cidades, outros estados e, até mesmo, outros países. Diante disso, nós tomamos algumas medidas mais restritivas a fim de controlar a contaminação da nossa população”, disse.

Segundo Elisa, além da proibição dos eventos comerciais, também está proibido os eventos não comerciais com mais de cinquenta pessoas. A secretária de saúde pede para que “toda a população para que não deixe de realizar as medidas sanitárias, os protocolos, estar de máscara em todos os lugares públicos, evitar contatos com pessoas desconhecidas”.

Ela ainda ressalta que a importância da conscientização nesse momento.

Nós temos pedido para que as famílias se conscientizem, evitem ficar abraçando, beijando pessoas mais idosas ou com comorbidades. Hoje, a maioria dos nossos casos acaba sendo em jovens, os sintomas são mais leves, porém a maioria dos jovens tem contato com seus familiares, tem pessoas mais idosas na família e isso acaba acarretando outros possíveis problemas. Não é só uma gripezinha, o covid está aí e é sério, ele deixa sequelas”, disse a secretária.

Novos protocolos

A Secretária Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgou, no último 11, novos protocolos do programa Minas Consciente. Com medidas mais restritivas, o comércio deverá funcionar com uma fiscalização efetiva e regular das autoridades municipais, com aumento da metragem referência de um cliente para cada dez metros, ampliação do horário de funcionamento e adoção de campanha de comunicação na região.


Passos sai do Minas Consciente

Desde a segunda-feira, 21, consta na aba de transparência do plano que Passos “não aderiu”. / Foto: Arquivo FM

PASSOS- O município de Passos não faz mais parte do Programa Minas Consciente. Por meio do decreto 1.980, do dia 15 de dezembro, foi revogada a decisão que dispunha sobre a adesão de Passos ao programa. Desde a segunda-feira, 21, consta na aba de transparência do plano que Passos “não aderiu”.

De acordo com o decreto, a decisão pela saída do município se deu considerando “que os indicadores quanto ao contágio, internações e baixa letalidade pela covid-19, no âmbito do município de Passos, demonstram que as ações da onda amarela vigente no Plano Minas Consciente para a macro e microrregião em que Passos está inserida, se revelam mais restritivas de forma a comprometer a economia local em todos os seguimentos”. Além disso, foi considerado ser decisão do município a regulamentação do funcionamento do comércio.

O decreto foi publicado no dia 16 de dezembro e, neste dia, outra decisão sobre o funcionamento do comércio também foi divulgada. Com isso, o decreto 1.980 não foi acabou passando despercebido pela população. Nesta quinta-feira, 23, internautas da cidade começaram a questionar através de grupos de Facebook a administração passense sobre a saída do município do programa.

Passos aderiu ao programa em 28 de julho por meio do decreto 1.728, após decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais que proferiu a obrigação da adoção ao programa ou a deliberação 17/2020, formuladas pelo Governo do Estado, pelos municípios da Associação dos Municípios Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg).

Nesta quarta-feira, 23, o Governo do Estado anunciou que a macrorregião Sul regrediu para a onda vermelha do programa, na qual Passos fazia parte. Com isso, as cidades pertencentes às regiões que estão na Onda Vermelha – Sul, Sudeste, Nordeste, Jequitinhonha, Centro Sul, Leste do Sul, Vale do Aço, Leste-, possuem orientações mais restritivas quanto ao comércio não essencial.

O programa setoriza as regiões nas ondas amarela, verde, branca e vermelha, de modo a promover uma retomada econômica gradual do comércio. Para decidir a onda, alguns fatores são avaliados das macrorregiões, como ocupação de leitos e número de casos confirmados.

Você também pode gostar de:

DER realizaou 6,3 mil operações