Destaques Saúde

Consultas na atenção básica e especializada diminuem 29%

Por Beatriz Silva / Redação

17 de agosto de 2020

Em relação às consultas de nível superior da atenção básica, que envolvem, por exemplo, os atendimentos realizados nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF), a queda foi de 35,39%. / Foto: Divulgação

PASSOS – Os atendimentos realizados nos setores públicos de saúde básica e especializada caíram 29,17% em Passos. Conforme os números disponibilizados pela assessoria de comunicação do município, entre janeiro e agosto deste ano, ocorreram 34.882 consultas. No mesmo período do ano passado, foram 49.248. As consultas de nível superior da atenção especializada registraram queda de 15,51%. O setor que abrange nutricionistas, psicólogos e demais especialistas passou de 15.421 atendimentos, entre janeiro e agosto de 2019, para 13.028 no mesmo período de 2020.

Quanto às consultas de nível superior da atenção básica, que envolvem, por exemplo, os atendimentos realizados nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF), a queda foi de 35,39%, passando de 33.827 para 21.854.
De acordo com Sandra Renata da Silva, coordenadora da atenção primária de saúde de Passos, o principal motivo para a queda nos atendimentos foi a pandemia do novo coronavírus, que tem deixado os pacientes receosos quanto a ida às unidades de saúde. O período de paralisação de agendamento de consultas, que perdurou por quase dois meses, também seria uma das razões.

O que percebemos é que as pessoas estão com medo. No caso da atenção especializada, mesmo com as consultas sendo agendadas, muitos faltam. Entramos em contato com esses pacientes, mas eles sempre relatam medo. Na atenção especializada os atendimentos foram suspensos por bastante tempo e, mesmo com a retomada, a ausência ainda é constante”, completou Sandra.

A coordenadora ressalta que a população deve procurar a atenção básica ou especializada sempre que houver necessidade, uma vez que os agendamentos estão sendo feitos diariamente e a chamada demanda espontânea também está sendo acolhida.

Quando precisarem, basta ir às unidades pela manhã. Nós dividimos o fluxo, no período da tarde atendemos apenas os pacientes sintomáticos respiratórios, com síndrome gripal, enquanto no período da manhã, o atendimento é normal para qualquer tipo de demanda, faixa etária ou condição de saúde”, encerrou.

O Hospital Regional do Câncer, assim como os setores de saúde básica e especializada do município de Passos também apresentou queda no número de consultas. Conforme a gerente regional da instituição, Rita Barbosa, entre janeiro e julho deste ano houve 34.193 atendimentos, enquanto no mesmo no período de 2019, o total foi de 34.193 consultas.