Destaques Saúde

Comércio passa a funcionar até as 23h em toda a região

Por Beatriz Silva / Redação

14 de janeiro de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS — Prefeitos e representantes das cidades que integram a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) adotaram um horário comum para o funcionamento de bares, lanchonetes, restaurantes e congêneres, até as 23h, e estabeleceram que os municípios mantém a adesão ao Minas Consciente, plano do Governo do Estado de Minas Gerais para a retomada da economia. Eles se reuniram, na última terça-feira, para definir um planejamento coletivo para enfrentar a alta nos números de casos e de óbitos por covid-19 na região.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Santa Casa
  • Cinco cidades fazem novos decretos

Também foi determinada a intensificação da fiscalização da população e dos estabelecimentos em geral, buscando verificar o cumprimento das medidas impostas pelo Plano Minas Consciente e atos normativos municipais, para que as irregularidades sejam notificadas, a fim da imediata correção e, em caso de permanência, sejam tomadas medidas cabíveis, inclusive, com aplicação de penalidades e suspensão ou cassação de alvarás de funcionamento. Ainda foi vedada a recepção e hospedagem nos municípios de excursões turísticas, com impedimento de circulação e trânsito de ônibus de turismo.

Além das determinações coletivas estabelecidas na terça-feira, 12, os prefeitos de Alpinópolis, Capetinga, Capitólio, Piumhi e São José da Barra também assinaram decretos mais restritivos para conter a disseminação da covid-19.
Em Alpinópolis e em Paraíso, as prefeituras instituíram multas para pessoas que não usarem máscaras em locais públicos.

Segundo informações da Prefeitura de Alpinópolis, até esta quarta-feira, três pessoas foram multadas por descumprirem o decreto municipal. A multa é R$100. De acordo com a administração, como parte das ações de prevenção e controle da pandemia do coronavírus no município, foi iniciada nesta quarta-feira uma fiscalização pelas ruas da cidade que contou com a colaboração da Polícia Militar, Vigilância Sanitária e Saúde e a Central de Monitoramento da Covid-19.

Em Paraíso, a prefeitura está priorizando o atendimento a pacientes com covid-19 no sistema de saúde do município. Segundo informações divulgadas pela administração, estão suspensos, pelos próximos dias, as consultas não urgentes e o agendamento de exames que possam aguardar algumas semanas para serem realizados. Segundo as informações da administração, as unidades de Saúde da Família (USF) não deixarão de atender os pacientes que precisam de acompanhamento médico regular, como gestantes, hipertensos, diabéticos e outros.

Santa Casa

Devido ao aumento na demanda por leitos para pacientes em recuperação da covid-19, a Santa Casa de Misericórdia de Passos está disponibilizando, a partir desta quarta-feira, 13, mais 20 leitos clínicos, de enfermaria, para suportar a ocupação por pacientes da comunidade de Passos e da região, suspeitos ou confirmados, para a doença. Na última terça-feira, o hospital atingiu 100% de ocupação na Enfermaria Covid (25 leitos) e 70% na UTI Covid (30 leitos).
No boletim divulgado ontem pela Santa Casa, 29 dos 45 leitos da Enfermaria Covid estavam ocupados e, na UTI Covid, o número de pacientes era de 22.


Cinco cidades fazem novos decretos

PASSOS – Os decretos municipais, que levam em consideração as especificidades de cada local, devem trabalhar em conjunto ao planejamento coletivo da Ameg. Em Alpinópolis, o decreto destaca que bares, restaurantes, lanchonetes e similares devem coibir aglomerações no interior ou exterior do antiestabelecimento, bem como o consumo de bebidas e alimentos de pessoas que estejam de pé.


Você também pode gostar de:

Tromba d’água deixa cerca de 100 desalojados em Barbacena

Vedou-se a circulação de ambulantes provenientes de outras localidades, e foi suspensa a expedição de alvarás para tal finalidade. Além disso, as pessoas que descumprirem a obrigatoriedade do uso de máscara, nas vias públicas, no interior dos estabelecimentos comerciais e filas, estarão sujeitas a pagamento de multa de R$100.

Em Capitólio, o documento assinado pelo prefeito Cristiano Geraldo da Silva, o Gerardão, determina-se que a Feira Livre, realizada aos sábados, poderá funcionar em seu horário habitual, desde que o distanciamento, de no mínimo dois metros entre as barracas, e o uso obrigatório de máscaras sejam respeitados. Além disso, não está autorizada a realização de shows no local.

Ainda em território capitolino, os bares flutuantes poderão manter suas atividades, porém, adotando o uso de menus ou cardápios que tenham a possibilidade de desinfecção antes da entrega, ou, os quais sejam descartáveis. Os ambientes devem ser higienizados frequentemente e a quantidade de mesas distribuídas em cada espaço deve ser de 50% da capacidade máxima de lotação, sendo permitido o total máximo de quatro pessoas por mesa. Em relação às hospedagens, hotéis e pousadas poderão funcionar com metade da capacidade.

Para o município de São José da Barra, o prefeito Paulo Sérgio Leandro de Oliveira vetou os velórios em domicílio, suspendeu os cultos ecumênicos e cortejos fúnebres. A duração de funerais durante o dia passou a ser de no máximo seis horas por falecido, e ocorrendo necessidade de permanência do corpo no velório durante a noite, permite-se apenas a presença de familiares e pessoas próximas, observando o limite máximo de 15 pessoas.

No comércio barrense, especificou-se o distanciamento social observando o limite de um ocupante para quatro metros quadrados de área interna do estabelecimento e, se tratando de bares ou similares, de dois metros entre as mesas, observando o limite de seis pessoas por mesa.

Em Piumhi, a administração instituiu barreiras sanitárias itinerantes, em caráter orientativo, que deverão ser instaladas nas principais vias da cidade. Por último, entre as medidas de proteção aplicadas a todas as atividades de Capetinga, estão proibidas ações promocionais que possam causar aglomerações, e as empresas deverão fornecer equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados para cada atividade exercida, e em quantidade suficiente aos funcionários.