Destaques Saúde

Com aumento de casos, Paraíso e Cássia mantém Onda Amarela

Por Nathália Araújo / Redação

26 de outubro de 2020

Foto: Divulgação (Site EBC)

PASSOS – Após a liberação do governo estadual para que os municípios da macrorregião Centro-Sul avancem para a onda verde, no programa Minas Consciente, os gestores de Cássia e São Sebastião do Paraíso optaram por permanecer no estágio atual. Embora os indicadores tenham registrado estabilidade de novos casos de coronavírus na região, ambos os municípios não acompanharam o ritmo e, por esta razão, continuam na onda amarela. De acordo com Waldílson Aparecido Picego, secretário municipal de Saúde de São Sebastião do Paraíso, a decisão se deu em razão do crescente número de casos de covid-19 e de óbitos pela doença.

“Em um mês, as mortes aumentaram cerca de 120% e precisamos considerar as necessidades locais antes de avançar para a próxima etapa. Fizemos isso priorizando a responsabilidade que temos para com a saúde da população, visto que avaliações são realizadas constantemente para definirmos o próximo passo. Buscamos bons resultados, mas precisamos muito do apoio da nossa comunidade para vencermos esta guerra”, explicou.

As razões que determinaram a situação de Cássia são semelhantes, conforme esclarece Vanessa Chiareli Moreira Rezende, que está à frente da Secretaria Municipal de Saúde. Segundo as informações, o principal intuito é conter a disseminação do vírus e manter as medidas de higiene e distanciamento social.

“As circunstâncias do momento nos mostram que precisamos ser mais restritivos, e sabemos que a cidade ainda não está pronta para avançar no programa. Continuamos com as restrições e com a obrigatoriedade do uso de máscaras, mas dependemos das avaliações dos indicadores para lançar um novo decreto”, disse a representante da pasta.

O Minas Consciente é programa desenvolvido pelo governo estadual, visando à retomada gradual das atividades econômicas. A onda vermelha não está em vigor em nenhuma macrorregião e conta com a liberação apenas de serviços essenciais. Já a amarela permite o funcionamento de bares (consumo no local), autoescolas, salões de beleza, papelarias, clubes, academias, agências de viagem e lojas de departamento, roupas, acessórios, calçados, móveis e brinquedos. A verde, por sua vez, permite serviços não essenciais com alto risco de contágio.

As avaliações dos municípios são realizadas semanalmente e, segundo as estatísticas divulgadas pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a taxa que mede a incidência da covid-19 registrou queda de 32%, no estado, nos últimos 14 dias. Para chegar aos resultados, o órgão considera a quantidade de casos por número de habitantes, além da taxa de ocupação dos leitos habilitados para tratar a doença nas unidades de saúde.