Destaques Saúde

Chás podem ser complemento para a reeducação alimentar

7 de agosto de 2020

A canela contribui na redução da glicemia, regulando o açúcar no sangue e diminuindo a vontade de comer doces. A planta também pode ser uma ótima aliada no controle de diabetes. / Foto: Divulgação

Chá de hibisco, cavalinha, de canela ou de hortelã. Desde o tempo da vovó, os chás são usados para contribuir no tratamento de várias doenças ou simplesmente para aquecer o corpo em um dia frio. Porém, atualmente, muitos chás são usados como complemento no processo de reeducação alimentar, ajudando no emagrecimento saudável. Para obter os benefícios das plantas nesta forma de consumi-las, é preciso tomar alguns cuidados.

O que você também vai ler neste artigo:

  • Mais benefícios
  • Mais benefícios
  • Cuidados

De acordo com a nutricionista Mara Soares Rodrigues, da Unimed Sudoeste de Minas, os chás podem ser consumidos nos intervalos das refeições e juntos com os lanchinhos da manhã e da tarde. O ideal é tomar de 3 a 4 xícaras de chá por dia e nunca substituir o consumo da água pelo chá.

Os chás possuem antioxidantes poderosos conhecidos como flavonoides e catequinas. Apesar do efeito diurético, o chá hidrata o corpo e tem outros benefícios. Aumenta a imunidade a doenças por meio do aminoácido L-teanina, transformado pelo fígado em etilamina, que fortalece as células imunológicas. Quem bebe chá pode estar menos sujeito a ataques cardíacos e AVC, pois os antioxidantes ajudam a prevenir o colesterol e os danos às artérias causados por radicais livres, já os flavonoides restringem os coágulos sanguíneos”.

Para quem deseja emagrecer, os principais chás a serem consumidos são os termogênicos, que aceleram o metabolismo, como hibisco, canela e chá de louro, por exemplo. Porém, outros chás também podem contribuir neste processo.

A erva cidreira é aliada do sistema digestivo e ainda ajuda a aliviar gases. O chá de erva cidreira ótimo para ser tomado depois das refeições por pessoas que tem problemas de digestão, também o chá de erva cidreira atua como um de calmante, como se fosse um sedativo natural. Também de ação calmante, a camomila é boa para combater ansiedade e insônia e tem sido muito usada para aliviar a enxaqueca. Essa opção é muito indicada no período da TPM, já que ajuda a amenizar cólicas, além da ação calmante.

Quem quiser dormir melhor à noite pode misturar uma colher de camomila e outra de erva cidreira, para um efeito sedativo melhor. O chá de hortelã serve como antiparasita e antifúngico, ou seja, ajuda a matar bactérias ruins, principalmente do intestino, e auxilia pessoas que estão com complicações de gases. É ótimo para melhorar a digestão, combatendo azias. O alecrim também é muito usado para ajudar pessoas que querem controlar o peso, pois aumenta a sensação de saciedade. Também é ótimo para melhorar a digestão. Esse chá ainda tem ações antiespasmódica e anti-inflamatória boas para cólica renal e menstrual, ação antifúngica ótima para ajudar a mandar embora o fungo cândida do organismo e ação desintoxicante. É um verdadeiro tônico para o fígado”, complementa.

Mais benefícios

Outros chás citados pela nutricionista também possuem funções que ajudam a acalmar e a manter o organismo mais jovem. O de erva-doce, por exemplo, é muito usado por sua função relaxante, mas também ajuda no combate a cólicas e gases, além de melhorar a digestão. O chá mate tem ação termogênica e antioxidante, bom para acelerar o metabolismo e evitar o envelhecimento precoce. É preciso cuidado, apenas, com o seu poder estimulante, por conter cafeína.

Pessoas com hipertensão precisam evitar exageros, porque o chá mate aumenta a circulação e ainda pode irritar ainda mais a parede do estômago de quem tem gastrite. A canela pode ser uma ótima aliada no controle de diabetes. Ela ajuda na redução da glicemia, regulando o açúcar no sangue, contribui para diminuir a vontade de comer doces e melhora a circulação.

O chá verde é desintoxicante, ajuda a fortalecer o sistema imunológico, previne problemas cardiovasculares por controlar o colesterol e ainda tem vários princípios ativos que ajudam na prevenção do câncer. O chá verde também é muito famoso pela ação termogênica, ou seja, acelera o metabolismo na queima de gorduras e pode contribuir para quem quer perder os quilos extras. Mas vale lembrar que a bebida não é milagrosa e nem ajuda a emagrecer sozinha; sempre é preciso aliar uma dieta equilibrada com exercícios físicos.

O chá de hibisco ajuda no controle do colesterol e é muito diurético, capaz de fazer uma varredura de toxinas no organismo. Ele ajuda a eliminar gordura e pode ser uma boa opção para hipertensos, porque tem menos cafeína que o chá verde, mas possui benefícios semelhantes. O chá de gengibre também atua no sistema digestivo contra cólicas e gases e ajuda no combate a celulite. Esse chá também serve para combater enjoos e náuseas, principalmente em gestantes, que não podem usar muitos remédios durante a fase da gestação.

O chá de limão além de a fruta ser rica em vitamina C, tem ação alcalinizante, ou seja, ajuda a deixar o pH do sangue dentro do nível alcalino, que é como ele deve ficar. Com esse nível estabilizado, não há perda desnecessária de nutrientes e todos os sistemas do corpo atuam da forma correta. O ideal é fazer o chá junto com a casca, porque ela tem uma ação muito forte de desintoxicação do organismo. A folha de louro, e consequentemente o chá, é rica em potássio, magnésio e vitaminas B6, B9 e C e possui ação diurética, antifúngica, anti-reumática, anti-inflamatória, digestiva, estimulante, antioxidante e expectorante, podendo ser utilizada para ajudar no tratamento de diversas situações.

Cuidados

Apesar dos inúmeros benefícios, é importante consumir os chás com orientação profissional, já que há contraindicações em alguns casos. Gestantes, por exemplo, não podem consumir chás termogênicos e hipertensos devem ter cuidado com aqueles que tem alto índice de cafeína. Além disso, é preciso seguir as recomendações de consumo e evitar o exagero, pois a pessoa pode sofrer de intoxicação se o chá for consumido em grandes quantidades. Também é preciso ter cuidado na hora da compra, verificando a procedência do produto.

Adquira a erva medicinal em lojas idôneas de fitoterápicos e produtos naturais. Nas feiras livres, normalmente as folhas não vêm em embalagens com dados de procedência. Sem contar que ficam expostas à luz e ao calor, fatores capazes de diminuir e até mesmo acabar com os princípios ativos. O ideal é que as partes sejam vendidas separadamente. Um saquinho cheio de galhos e folhas misturados, por exemplo, pode ser um péssimo negócio se você só quer as folhas. As embalagens devem indicar peso, prazo de validade e procedência”, alerta a nutricionista.

Para garantir a melhor preservação das propriedades de cada chá, também atente-se à forma de preparo. “Coloque a água para ferver e assim que surgirem as primeiras bolhas de ar (antes de começar o processo de ebulição), apague o fogo. Acrescente a erva e abafe por 2 ou 3 minutos. Depois é só coar e tomar. Não existem grandes diferenças, em termos de benefícios, no consumo do chá da planta in natura com o da planta desidratada. As ervas secas são apenas o resultado da desidratação das ervas frescas, essa é a diferença entre uma e outra, desidratar a planta não muda seus benefícios.

Assim, ervas secas e desidratadas podem ser conservadas por semanas enquanto ervas frescas raramente duram mais que alguns dias, na melhor das hipóteses. Por fim, procure sempre tomar os chás em jejum e nos demais horários (lanches da manhã e tarde, meia hora antes ou duas depois das refeições principais). Tome-o na temperatura que você preferir quente, frio ou gelado, desde que tenha sido feito da maneira adequada.