Destaques Saúde

Casos prováveis de dengue aumentam 30,25% em uma semana

16 de abril de 2020

PASSOS – O último boletim epidemiológico sobre a dengue, divulgado pela Secretaria de Estado de Minas Gerais (SES) nesta terça-feira, 14, indicou aumento de 30,25% no número de casos prováveis da doença na região. Conforme o estudo, ao longo da última semana, foram registradas 155 situações que variam entre confirmadas e suspeitas da doença, enquanto que, nos sete dias antecessores, o resultado foi de 119 notificações.

Dentre as 24 cidades sob jurisdição da Regional de Saúde de Passos, o município de Cássia, com 44 notificações, é a localidade com maior registro de casos prováveis. O aumento de notificações foi de 12,82% no município em uma semana, passando de 39 para 44.

Em um intervalo de sete dias, o território passense dobrou o seu total de notificações, e passou de 15 para 30 casos prováveis. Com o resultado, Passos é o segundo município com mais registros. Na última semana, São Sebastião do Paraíso apresentou 21 notificações ante sete casos prováveis identificados no boletim anterior. Com a diferença, o aumento foi de 200% em seus registros.

Os casos suspeitos ou confirmados em Piumhi e Pratápolis cresceram 35,71% e 27,77%, respectivamente. Deste modo, na primeira localidade citada, os números foram de 14 para 19 notificações, ao passo que, na segunda cidade, o resultado passou de 18 para 23.

De maneira oposta, São João Batista do Glória apresentou queda em suas notificações, passando de dez para sete casos prováveis. A redução também foi constatada em São Tomás de Aquino, Claraval, Delfinópolis e Itamogi, que apesar de terem notificações no boletim anterior, dessa vez, zeraram os índices.

Por último, Alpinópolis, Bom Jesus da Penha, Doresópolis, Fortaleza de Minas, Guapé, Ibiraci, Jacuí, São José da Barra, São Roque de Minas e Vargem Bonita mantiveram índice zero de casos nas últimas duas semanas.

 

 

Passos faz mutirão de combate ao Aedes aegypti

 

PASSOS – Desde o fim de março, o Núcleo de Controle de Zoonoses tem realizado uma programação específica de limpeza. Os mutirões de combate ao Aedes aegypti já realizaram ações em mais de 15 bairros e devem contemplar outros 24 até o dia 25 de maio.

Thiago Agnelo de Souza Salum, o diretor do Departamento de Saúde Coletiva do município, afirma que, entre os primeiros meses do ano, foram contabilizados poucos casos da doença em todo território, porém, houve um pequeno aumento em março e início de abril. Ainda conforme Salum, a chegada do período frio deve fazer com que os números de notificações diminuam, no entanto, mesmo assim, os munícipes precisam continuar atentos quanto aos possíveis focos do mosquito.

“Mesmo com a tendência de decréscimo proporcionada pelo tempo mais frio, pedimos atenção de todos, porque o Aedes aegypti sofre várias mutações, já conhecemos situações onde o mosquito suportou temperaturas mais baixas. Neste momento, em que a quarentena faz com que mais pessoas estejam em casa, pedimos atenção para que olhem seus quintais, retirem qualquer coisa que esteja acumulando água, até mesmo, dentro do domicílio”, disse o diretor.
Segundo Salum, os pratos de plantas têm sido os principais criadouros do mosquito transmissor da dengue.

“Continuam sendo os maiores vilões. Por incrível que pareça, os pratos de planta que retêm água ainda são os locais que, quando feita a coleta de larvas, a maioria testa positivo para Aedes. Além disso, olhar no reservatório que acumula água atrás da geladeira, as calhas e verificar se a caixa d’água está realmente vedada é fundamental”, finalizou.