Destaques Saúde

Campanha Janeiro Branco ganha mais força em 2021 por causa da pandemia

Por Talita Souza / Redação

20 de janeiro de 2021

Foto: Reprodução

PASSOS – Todos os anos, no mês de janeiro, acontece a campanha ‘Janeiro Branco’. O projeto, que acontece desde 2014, foi criada e promovida por profissionais da saúde mental com o intuito de informar e conscientizar a população sobre doenças e transtornos mentais.

De acordo com a psiquiatra Amanda de Lima Texeira, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e da Associação de Psicologia Positiva da América Latina (APPAL), a campanha tem a intenção de alertar a população sobre os possíveis tratamentos voltados para o cuidado da saúde mental.

Infelizmente, as doenças mentais ainda são vistas de uma forma muito preconceituosa e estigmatizada. Então, a campanha seria para trazer à tona essa discussão, para que as pessoas possam se informar e entender mais sobre saúde e doença mental e, com isso, buscar por tratamentos e alternativas. Até porque a gente entende, hoje, que não é possível ter saúde sem saúde mental”, explicou.

Segundo a pesquisa ‘ConVid Comportamentos’, realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), feita entre abril e maio de 2020, 40,4% dos entrevistados disseram ter sentimentos de tristeza ou depressão, e 52,6% afirmaram experimentar sentimentos de nervosismo ou ansiedade, muitas vezes ou sempre.

Amanda explica que a campanha ganhou mais força esse ano, devido à pandemia do novo coronavírus.

“Essa campanha está ganhando ainda mais peso agora devido a toda essa situação que temos vivido. A pandemia trouxe à tona as questões vinculadas à saúde mental, não só pela exacerbação, mas pela piora de quadros de pacientes que às vezes já tinham um determinado transtorno e com a situação da pandemia isso teve uma piora e também do surgimento de novos casos e pessoas que, até então não apresentavam nenhum tipo de transtorno mental e que em função da pandemia, abriram um quadro nesse sentido.

Então, a gente teve aí um aumento de casos de transtornos de ansiedade, de transtornos depressivos, o próprio transtorno obsessivo compulsivo e muitos outros. A previsão é que outros casos de transtorno mental irão surgir no decorrer do tempo, porque os efeitos psicológicos e emocionais de uma situação de pandemia, muitas vezes, são observados até um tempo depois. Como, por exemplo, nos casos de transtornos de estresse pós-traumático que podem ser observados nesses casos”.

Segundo pesquisa, 40,4% das pessoas tiveram sentimentos de tristeza ou depressão e 52,6% sentimentos de nevosismo ou ansiedade causados pela pandemia