Destaques Saúde

Campanha de conscientização destaca doença oftalmológica

Nathália Araújo / Redação

8 de junho de 2020

PASSOS – O ceratocone é uma doença ocular que atinge a córnea, uma espécia de lente natural fina e transparente, responsável pela entrada de luz nos olhos; localizada na parte frontal do globo ocular, protegendo-o de vírus, bactérias, ciscos e poeira. Para conscientizar sobre a importância da prevenção desta patologia, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e a Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), criaram a campanha “Junho Violeta” que, além de orientar sobre os cuidados necessários, também estimula as pessoas a procurarem um médico especialista.

No Brasil, a cada duas mil pessoas, uma é diagnosticada com ceratocone. A principal característica da enfermidade degenerativa são alterações na estrutura da córnea, que se torna mais fina, alterando a sua curvatura circular para o formato de um cone. A modificação pode causar distorção de imagens que passam pelos olhos e, ainda, induzir a outros problemas, como miopia e astigmatismo. Para identificar a doença, é realizado um exame oftalmológico completo e uma topografia corneana, que é um tipo de mapa de relevo detalhado.

O oftalmologista passense, Wesley Menegate Ferreira Faria, graduado pela Universidade de São Paulo (Usp), explica que o ato comum de coçar os olhos pode ser um agravante do ceratocone. “Isso pode contribuir não só com o aparecimento da patologia, como também com a sua progressão, ou seja, é fundamental que as pessoas não desenvolvam o hábito de friccionar as pálpebras. Evitar esfregar e realizar um controle adequado de possíveis alergias, com certeza, dificulta o surgimento e o desenvolvimento deste problema”, esclareceu.

Menegate também conta como funciona o tratamento da enfermidade e destaca sobre a importância da campanha de conscientização. “Nas fases iniciais, o ceratocone é tratado apenas com uso de óculos e, dependendo do caso, é aplicado um laser chamado Crosslinking. Em diagnósticos mais tardios, talvez sejam necessários procedimentos cirúrgicos mais invasivos, como implante de anel corneano ou até mesmo um transplante. A campanha incentiva a identificação e tratamento precoce do ceratocone, evitando que a doença seja mais severa e, desta forma, quem já tem o problema mantém a boa visão”, enfatizou o médico.

A campanha “Junho Violeta” foi criada em 2018 e aborda, principalmente, a importância da conscientização para a mudança de comportamento das pessoas que costumam coçar os olhos, para diminuir a incidência da patologia ou impedir o seu agravamento. Isso tudo permite mais conforto para tomar decisões, quando for necessário estabelecer um procedimento cirúrgico.