Destaques Saúde

Barreiras sanitárias identificam que visitantes estão a passeio

Por Nathália Araújo / Redação

18 de junho de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – As equipes de profissionais da saúde que atuam nas três barreiras sanitárias, instaladas em pontos que ligam Passos à rodovia MG-050, coletaram informações de 725 motoristas entre os dias 15 de maio e 6 de junho. O relatório mostra que 96% tinham o município como destino e 4% seguiam para outras cidades da região.

O levantamento registrou as principais origens municipais e estaduais dos que passaram pela fiscalização de saúde, e também mostrou os objetivos mais procurados pelos cidadãos. Quase 30% das pessoas que entraram na cidade estavam a procura de atividades de passeio, ao mesmo tempo que 21,1% buscavam atendimentos no setor de saúde, 19,5% realizaram o acesso a trabalho e, 17,4% para fazer compras. Outras finalidades também foram apontadas como negócios, questões familiares, serviços públicos e estudos.

O diretor-geral de enfrentamento ao novo coronavírus, Maxuell Messias Ribeiro, disse que quem passa pelas barreiras costuma permanecer pouco tempo no município, mas revela que os índices são impressionantes.

Não podemos restringir o acesso das pessoas porque vivemos em uma cidade polo. Os números estão controlados, não estamos em estado de calamidade, mas não podemos deixar de falar da responsabilidade sanitária que a população também deve ter, a maior taxa registrada é de pessoas que procuram por passeio e estamos no meio de uma pandemia, são tempos de isolamento social e isso requer muito cuidado”, destacou.

Ribeiro ainda conta sobre a importância do trabalho realizado e explica como os relatórios podem contribuir com as estratégias para conter a disseminação do coronavírus.

A ação social e epidemiológica que os profissionais das barreiras realizam são de extrema importância, uma vez que contribuem com o monitoramento não só de Passos, como também da região. Com todas as informações, conseguimos definir como atender as necessidades, no sentido de identificar possíveis influências para casos da doença”, apontou o diretor.

A Secretaria de Saúde informou que, em média, uma a cada 200 pessoas que passaram pelos locais de triagem apresentavam sintomas comuns de síndrome gripal, os quais podem ser confundidos com a covid-19. Quando o motorista reside em Passos, automaticamente o caso é notificado e passa pelo acompanhamento médico de atenção básica do município. Em situações em que os pacientes têm origem de outras cidades, os profissionais informam o órgão responsável pelo local, que entra em contato para realizar os procedimentos necessários.

Para contribuir com o trabalho de controle epidemiológico, os membros da Brigada de Enfrentamento à Covid-19 realizam suas atividades de fiscalização regularmente e, ainda, um outro modelo de barreira também foi instalado na rodoviária, com a intenção de coletar informações detalhadas das pessoas que entram na cidade, visto que essas costumam permanecer por mais tempo dentro dos limites municipais.

Análise de tráfego mostra origem dos motoristas

PASSOS – O relatório de tráfego da Prefeitura Municipal, da Secretaria de Saúde e do Comitê Gestor de Enfrentamento à Covid-19, registrou as principais origens estaduais e municipais dos motoristas que passaram pela triagem nas barreiras sanitárias de Passos, sendo que um número significativo pertence a cidades que contam com grandes índices de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Dos 725 motoristas que foram avaliados, apenas 27 tinham Passos como parte do itinerário para outras cidades da região, sendo que as principais foram Ribeirão Preto, Franca, Campinas, São Paulo, Cássia e São Sebastião do Paraíso. Além dos locais citados por maior percentual de procura, 37% dos viajantes seguiam para outros municípios.

Das outras 698 pessoas que passaram pelas barreiras com o intuito de ter Passos como rota final, quase metade são de cidades que compõem a região do sudoeste mineiro e do interior do estado de São Paulo. Os locais de origem mais registrados foram Itaú de Minas, São Sebastião do Paraíso, São José da Barra, Alpinópolis, Fortaleza de Minas, Pratápolis, Franca, Ribeirão Preto, Bom Jesus da Penha e Carmo do Rio Claro.

Em uma visão mais ampla, o relatório abordou as origens estaduais dos mesmos motoristas que se dirigiram a Passos, o resultado foi que a maior parte já residia em Minas Gerais, mas outros tantos vinham de São Paulo, que é o local com o maior número de mortes confirmadas por coronavírus. Além desses, os estados mais vistos no levantamento foram Goiás, Alagoas, Ceará, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

Em reunião, a Secretaria de Saúde resolveu testar cálculos para possíveis previsões do avanço da infecção no município, respeitando o prazo de 15 dias como limite para a projeção.