Destaques Saúde

Áudio divulga informações falsas sobre situação da covid em Paraíso

Por HELENA TALLMANN/ Especial

8 de janeiro de 2021

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

S.S. DO PARAÍSO – Um áudio que circulou nesta semana, contendo informações falsas, causou alarme na população paraisense. Uma enfermeira da Santa Casa de Misericórdia do município alertava que a UTI Covid estaria lotada e que ventiladores estariam sendo retirados do setor, pedindo para que as pessoas se cuidassem.


Você também pode gostar de:

Veículos são furtados em barracão

A Santa Casa é referência para os municípios de Pratápolis, Jacuí, São Tomás de Aquino, Monte Santo de Minas, Itamogi e São Sebastião do Paraíso. Até essa quarta-feira (6), o município já contabilizava 12 novos casos confirmados e quatro óbitos nos primeiros dias de janeiro, com ocupação de 48,93% dos leitos da enfermaria covid e 55% da UTI.

Apesar de o áudio, de fato, ter sido gravado por uma enfermeira da instituição, sua intenção era de “dar um susto” nos irmãos para que ficassem mais atentos às medidas de proteção contra a covid-19. “Ela quis passar um susto nos irmãos, e isso tomou uma proporção que vocês estão vendo”, disse o interventor da instituição, Fernando Alvarenga, em outro áudio que também foi repassado por meio do WhatsApp.

O setor de comunicação da Santa Casa confirmou que as vozes são do interventor e da enfermeira, reforçando que a informação falsa foi direcionada para a família dela. Em nota, a instituição informou que o Plano de Contingência Macrorregional Sul coloca a Microrregião de São Sebastião do Paraíso com uma necessidade máxima de 47 leitos clínicos e 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva para atenção aos pacientes com SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que coloca a covid-19 como principal ponto de atenção – portanto, esse é o total de leitos disponíveis, conforme pactuação com o Município.

Ficou estipulado que ofertaríamos a quantidade necessária de maneira gradativa, conforme o aumento de casos, portanto a taxa de ocupação dos leitos tanto clínicos quanto UTI, é feita da seguinte maneira: pacientes internados dividido pelos leitos ofertados no plano macrorregional. […] Nosso hospital conta hoje com equipe médica, porta de entrada de paciente, recursos humanos e tecnológicos exclusivos para o atendimento a pacientes com covid”, esclarece a nota. O setor de comunicação explicou, ainda, que a movimentação de equipamentos, como ventiladores, faz parte da rotina do hospital, mas que também não estão em falta. Segundo a Santa Casa, há um equipamento para cada leito covid.

A assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de São Sebastião do Paraíso informou que não há falta de leitos. Em relatório feito às 15h51 de 07/01/21, quatro pacientes estavam na Unidade de Pronto Atendimento – UPA aguardando transferência para a Santa Casa, por meio do SUSfácil. Os prestadores de serviços de saúde particulares, Ampara e Unimed, também foram citados no áudio da enfermeira. O setor de comunicação da Unimed São Sebastião do Paraíso afirmou, na quarta-feira (6), que o fluxo de saúde estava funcionando normalmente, sem interrupções até a data. A Ampara preferiu não se manifestar.

Na manhã dessa quinta-feira (7), a Prefeitura Municipal de São Sebastião do Paraíso se reuniu com a Santa Casa de Misericórdia e empresas de Planos de Saúde. Um dos assuntos tratados foram as estratégias voltadas ao combate ao surto da Covid-19 na cidade. De acordo com publicação nas redes sociais do Executivo, o prefeito Marcelo Morais e o vice-prefeito Daniel Tales consideram que o sistema de saúde do Município está prestes a entrar em colapso.

Números dos últimos dois dias mostram o crescimento alarmante envolvendo os casos de pacientes contaminados pela doença e ocupação de leitos no hospital”, diz a postagem.

Conforme informações dos boletins diários dos dados de covid-19, divulgados até 6 de janeiro, São Sebastião do Paraíso já registrou, nos primeiros dias de janeiro, 12 novos casos confirmados da doença e quatro óbitos, além de 136 novas notificações. Até o dia 06, eram 6558 notificações, 1772 casos confirmados e 54 óbitos, dois outros estão em investigação. No mesmo dia, a taxa de ocupação dos leitos da UTI Covid era de 55% e da enfermaria, 48,93%. Até o fechamento desta edição ainda não havia sido finalizado o boletim desta quinta-feira.