Destaques Saúde

Atendimentos na UPA de Paraíso caem e número de exames sobem

29 de Maio de 2020

Foto: Agência Brasil

S. S. PARAÍSO – A Câmara Municipal sediou a Audiência Pública Quadrimestral referente ao período entre janeiro e abril deste ano. Realizada pela Prefeitura, a reunião tem o propósito de apresentar a prestação de contas do Município, bem como atendimentos e indicadores do setor de saúde.

A primeira apresentação foi feita pelo agente administrativo Ronaldo Rocha Rezende, representando o secretário de Saúde Wandilson Bícego, que não pôde comparecer. Entre os dados, em relação à dengue, no ano de 2019 foram contabilizadas 1.787 notificações e 1.199 casos positivos. Em 2020, já foram 198 notificações e 70 casos positivos até o final de abril.

Ronaldo ressaltou que o número é preocupante.

Como os nossos agentes não estão podendo fazer as visitas de rotina nas residências, precisamos que a população se conscientize e aproveite a quarentena para fazer uma varredura em suas casas para diminuirmos os casos. Nessa época, crescem muito os casos de AVC e infarto, também com internações por causa da dengue a situação fica complicada”, disse.

Covid-19

Um dos pontos afetados pela pandemia do novo coronavírus foi o número de atendimentos médicos realizados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que apresentaram queda em relação aos últimos quadrimestres. Enquanto a média do período é de cerca de 40 mil a 45 mil atendimentos, o quadrimestre registrou 30.447. Por outro lado, o número de exames agendados no atendimento ambulatorial especializado cresceu, tendo 20.759 exames a mais do que ano passado.

Também reflexo da Covid-19, a Secretaria de Saúde conseguiu atingir 116% da meta da campanha de vacinação de idosos contra a gripe, foram 16.339 vacinas de Influenza aplicadas. Além disso, dentro dos dados sobre a Vigilância em Saúde, houve 1.529 inspeções foram feitas, das quais 744 foram relacionadas a Covid-19.

Ronaldo também apresentou as metas da pasta. Uma delas é o percentual de famílias beneficiárias do Bolsa Família acompanhadas pela atenção básica, que alcançou 81,5%, sendo a meta 82%. Apesar disso, o índice é maior do que o percentual do último quadrimestre de 2019. Aumentou também a taxa de cobertura populacional pelas Unidades de Saúde da Família, que passou de 92,62% para 93,45% neste quadrimestre.

Transferências do SUS aumentam as receitas

S. S.PARAÍSO – A gerente contábil Denise Paschoini realizou a segunda apresentação e começou falando sobre as receitas municipais, que totalizaram R$89.074.172,59 somando Prefeitura e Inpar. Ela explicou que houve um aumento em relação à receita do ano passado principalmente devido à Transferência SUS, repasse mensal do governo federal para a Prefeitura, que chegou a R$26.353.481,86 no quadrimestre. O aumento se deu por conta dos recursos oriundos ao enfrentamento da covid-19, além de emendas parlamentares destinadas à pandemia, à Santa Casa de Misericórdia e ao Hospital Gedor Silveira.

Também responsáveis pela maior receita, as transferência do governo do estado para a saúde chegaram a R$2.411.100,78. Já o repasse do ICSM e do IPVA pelo governo de Minas Gerais se normalizou, visto que estava havendo retenção em 2019. “No caso do ICMS, também tem a questão do parcelamento do estado com os municípios que está sendo cumprido”, completou Denise.

A soma das despesas liquidadas foi de R$57.927.020,47, sendo R$50.190.086,45 da Prefeitura, R$6.156.441,24 do Inpar e R$1.580.492,78 da Câmara Municipal. No caso do Executivo, as principais despesas de 2020 são com pessoal e encargos sociais, serviços terceirizados de pessoas jurídicas (incluindo repasses para Santa Casa de Misericórdia, Hospital Gedor Silveira e Apae – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), material de consumo e despesas de exercícios anteriores.

Nas despesas com ensino, foram aplicadas 28,06%, acima do índice mínimo legal de 25%. No setor de saúde, o índice de aplicação das receitas foi de 32,82%; o mínimo exigido por lei é 15%. A dívida total até 30/04/2020 era de R$44.012.158,62.