Destaques Saúde

Após um ano da 1ª morte, região se aproxima de 700 óbitos

Por Ézio Santos / Especial

23 de abril de 2021

srs-passos registra 1,3 mil mortes em decorrência da covid nesta segunda-feira./ Foto: Divulgação

PASSOS – Um ano após o registro da primeira morte por covid-19 na Santa Casa de Passos, os números de óbitos e de casos confirmados continuam a subir e a região se aproxima de 700 óbitos. Em Passos, de acordo com boletins epidemiológicos divulgado pela prefeitura, as mortes em decorrência da doença aumentaram de 131, na última terça-feira, para 140, ontem. Entre terça e quinta, foram registrados 48 novos casos e o município atingiu 5.165 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Paraíso, com 150 mortes por covid, lidera o ranking de óbitos pela doença na região.

Na Santa Casa, os registros de falecimento por covid chegaram a 312 nesta quinta-feira. De acordo com informações de prefeituras e da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a região se aproxima de 700 mortes e de 23 mil casos da doença.

Em 25 de abril de 2020, a Santa Casa de Passos confirmou a primeira morte por covid-19 na região. O paciente, um homem de 61 anos, estava internado com suspeita da doença na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o dia 26 de março do mesmo ano e era natural de Capitólio. No dia 30 de março, a Santa Casa e a Prefeitura de Passos confirmaram o primeiro caso de infecção pelo novo coronavírus na região.

Em 19 de Maio do ano passado, foi sepultada, no Cemitério Municipal de Passos, a primeira vítima de covid-19 residente no município. A vítima, um homem de 44 anos, ficou internada na UTI por uma semana. Segundo informações do supervisor da Unidade de Urgência e Emergência da Santa Casa de Passos, o médico Tomás de Carvalho, repassadas na época, o óbito foi registrado às 15h40 do dia 19 de maio e o paciente tinha algumas comorbidades.

De acordo com o médico, não dava para saber com precisão se a vítima contraiu a doença em Passos ou em outro município, já ele se deslocava por conta do trabalho e havia passado pelo Triângulo Mineiro, região com alta incidência de casos confirmados na época.

De acordo com boletim da Santa Casa divulgado na tarde do dia 19 de maio, o hospital registrava 164 notificações. Além de casos confirmados em Passos e Paraíso, a região também tinha registros da doença em Itaú de Minas, Capitólio, Guapé, Itamogi, Piumhi, São Tomás de Aquino, Alpinópolis, Delfinópolis, Pratápolis e São José da Barra. Atualmente, todos os municípios da região registram casos e óbitos pela doença. Em Minas, segundo boletim divulgado nesta quinta-feira pela SES, já são mais de 1,3 milhão de casos confirmados e 31.386 mortes por covid-19.


Cinco cidades da região registram mais mortes que nascimentos

PASSOS- Os municípios de Capitólio, Claraval, Itamogi, Pratápolis e Piumhi tiveram mais registros de óbito do que de nascimentos em março deste ano. De acordo com informações do Portal de Transparência do Registro Civil Nacional, em Capitólio o número de mortes, 13, foi quase o dobro dos nascimentos, sete.

Em seguida aparecem Itamogi, com 11 falecimentos e oito crianças registradas no mês passado, e Pratápolis, com 12 mortes e três nascimentos. Piumhi teve 38 óbitos e 36 nascimentos e Claraval tem uma morte e nenhum registro de nascimento no período.

O portal não aponta as causas dos falecimentos, mas, de acordo com dados dos boletins epidemiológicos sobre covid-19, em Capitólio, as mortes em decorrência da doença representam 61% do total de falecimentos em março. Em Itamogi a proporção foi de 36,6% e, em Piumhi, de 34,2%. Em Pratápolis, o índice ficou em 16,6%.

Quando comparado a março de 2020, o número de óbitos aumentou 160% em Capitólio e o de nascimentos caiu 12,5%. Em Piumhi, a queda nos registros de nascimento chega a 35,13% e o aumento nos óbitos foi de 123,5%. Itamogi teve uma morte a mais e dois nascimentos a menos.

Em Pratápolis, foram duas mortes a mais e um nascimento a menos. Claraval manteve o mesmo número de óbitos no período. Na região, foram registradas 500 mortes e 400 nascimentos no mês de março. Nos três primeiros meses do ano, foram 1.130 óbitos e 1.356 registros de nascimentos.