Destaques Saúde

Ameg faz reunião para decidir se região permanece no plano Minas Consciente

Por Maynara de Carvalho / Redação

28 de janeiro de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS – Representantes de prefeituras que integram a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) se reúnem hoje, 28, às 10 horas, para decidir se as cidades continuam no programa Minas Consciente. Na quarta-feira, 20, Passos voltou ao programa, com outras 20 cidades da região. Dessas, 14 cidades se enquadravam na onda vermelha e sete na amarela.


Você também pode gostar de:

Prefeitos da região se reúnem com Zema e fazem reivindicações 

Na ocasião, cada prefeitura adotou um decreto único, que poderia mudar conforme decisão de cada prefeito. O prazo das medidas adotadas no decreto da Prefeitura de Passos termina hoje. Municípios como Piumhi e cidades próximas adotaram medidas um pouco mais restritas para tentar conter a pandemia e definiram como prazo o dia 31 de janeiro.

E já estamos preparados para mudar nosso decreto. A partir de segunda-feira, 1º de fevereiro, abriremos de forma mista. Vai ser mais ou menos como a cidade de São Paulo tem feito. Vamos abrir serviços essenciais e não essenciais durante a semana. Aos finais de semana só essenciais vão funcionar”, disse o prefeito de Piumhi, Paulo Vaz.

Segundo ele, não foi sentida diminuição no número de casos de covid-19 até agora.

E isso se deve ao fato de estarmos testando mais pessoas. Compramos seis mil testes por R$309 mil, sendo 4 mil testes PCR, onde são colhidas amostras através de cotonetes de nasofaringe, e 2 mil testes rápidos que é o do furo no dedo. Além disso, estamos colhendo o afrouxamento do Natal. O resultado do fechamento dessa semana vai aparecer daqui 14 dias”, finalizou.

E já estamos preparados para mudar nosso decreto. A partir de segunda-feira, 1º de fevereiro, abriremos de forma mista. Vai ser mais ou menos como a cidade de São Paulo tem feito

O secretário de Indústria, Comércio e Turismo da Prefeitura de Passos, Sandro Lopes Figueiredo Marques, afirma que a administração discute com a Santa Casa da cidade o aumento nos leitos destinados a pacientes com covid-19.

Quando decidimos entrar no programa (Minas Consciente), analisamos os leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Passos que estavam em 113%. Ontem, 27, tivemos reunião com o hospital para ver se conseguimos credenciamento de outros leitos. Estamos preocupados e precisamos trabalhar em conjunto”, disse.

Sobre os leitos da Santa Casa, o secretário disse que gostaria de saber, de fato, quantos estão disponíveis.

É importante saber sobre esses leitos. Precisamos de transparência. Dos leitos de UTI credenciados pelo estado, quantos são SUS, quantos têm sido usados por planos de saúde? quantos têm sido usados por pessoas que podem pagar particular a diária na UTI? Se a gente souber os números, podemos nos posicionar melhor. Essa transparência é necessária para trazer tranquilidade para todos, inclusive para os comerciantes”, disse.

Para o secretário, o fechamento do comércio é necessário para evitar contaminações.

Menos pessoas nas ruas, menos vírus circulando e o que fizemos nem foi um lockdown, como no ano passado, quando ficamos cerca de um mês fechados. Temos delivery para maioria dos serviços. Sei que, no caso de roupas, por exemplo, a pessoa sairia para experimentar e acaba levando mais uma peça ou outra, o que aumenta as vendas. No entanto, a vida não tem preço. Se todos colaborassem ficando, pelo menos dez dias em suas próprias casas, a contaminação cairia muito. Estamos em uma guerra e temos que tentar salvar o máximo de vidas possível”, afirmou.