Destaques Saúde

Alpinópolis terá toque de recolher e lei seca contra festas clandestinas

Por Beatriz Silva / Redação

11 de março de 2021

O objetivo é reduzir a transmissão do novo coronavírus entre a população do município. / Foto: Divulgação

ALPINÓPOLIS – O prefeito de Alpinópolis, Rafael Freire, deve divulgar, entre hoje e amanhã, um novo decreto com medidas mais restritivas para evitar festas clandestinas e aglomerações em praças e ruas durante a noite. A cidade deve adotar toque de recolher e lei seca. O objetivo é reduzir a transmissão do novo coronavírus entre a população do município.


Você também pode gostar de: Vendas de peixe aumentam cerca de 50% na Semana Santa

Entre as medidas previstas, estão a proibição de aluguel de sítios, chácaras e ranchos para eventos, a suspensão de treinos e esportes em espaços públicos, a redução do período de atendimento em bares – até as 22h – e de delivery de alimentos – até as 23h -, além da proibição de qualquer tipo de festa, lei seca após as 22h, e toque de recolher das 23h às 05h.

Conforme Freire, antes da divulgação e finalização do decreto, o município estaria aguardando atualizações do Minas Consciente, uma vez que o Comitê Estadual se reúne toda quarta-feira. “Se houver alguma alteração por parte do Estado, haverá tempo de adequação”, afirmou o chefe do Executivo.

Após a divulgação, o período de validade do decreto será de sete dias, podendo ser prorrogado por igual período, dependendo da situação da pandemia e das determinações do governo do Estado. De acordo com Freire, a elaboração de um novo decreto visa manter a situação de Alpinópolis sob controle.

Houve aumento de casos em relação às últimas semanas e não queremos pagar para ver, ou seja, nosso objetivo é manter o controle da pandemia em Alpinópolis, como conseguimos fazer até o momento”, disse.

Segundo o prefeito a última vítima da doença na cidade foi uma jovem de 35 anos, que morreu no dia 4 de março, e que o foco das medidas mais restritivas são as festas clandestinas.

A população precisa entender que o vírus mata. A covid-19 é uma doença avassaladora. O vírus já está se comportando de maneira diferente e matando pessoas de uma faixa etária diferente, como o último óbito que tivemos em Alpinópolis, uma jovem de 35 anos. E o pior, agora a covid-19 está avançando contra nossas crianças. Eu não quero presenciar um cenário de guerra em nosso município. É por isso que estamos agindo enquanto é tempo, adotando as medidas certas, na hora certa, ou seja, não vamos prejudicar o comércio. O nosso foco são as festas clandestinas, pessoas aglomerando nas praças e ruas durante a noite e madrugada”, disse.